Inicio Opinião

Opinião

Ó Balcão: por este rio acima

Se há cidade que tem apostado na gastronomia é Santarém. À frente do barco, um homem navega no lodo do Tejo e traz de lá uma cozinha única. Chama-se Rodrigo Castelo. 

DeRaiz

Na aldeia de Rebordinho, ao lado de Viseu, um jovem casal abriu um restaurante com comida de avós feita por netos. Ao ouvir o anfitrião, no arranque da refeição, percebo logo que vou ser feliz. Não apenas porque o azeite do couvert vem “de Oliveira de Frades, um cem por cento galega”; ou porque o pão trigueiro “é feito com massa mãe, na casa”. Mas também porque, “entre as poucas coisas compradas fora, está a broa”. 

Mesa. “Tão sempre a mesma”

Raros objectos têm uma presença na vida humana tão constante e inadvertidamente importante como o que chamamos mesa. Claro que tem uso individual, mas, habitual e, reiteramos, despercebidamente, ela impõe-se como um centro íntimo de sociabilidade. 

Pão, sopa, filhós

A arte de bem comer não vem só da infância, claro, senão ninguém comia peixe, espinafres, mão de vitela. As pessoas crescem também no gosto, e é hoje raro encontrarmos um amigo que «não gosta de peixe» porque uma vez em criança a mamã se esqueceu de tirar uma espinha e ficou traumatizadinho.

No princípio era o pão

Na tradição ocidental, o pão sempre foi a base da alimentação e acompanhamento para tudo e em todos os momentos. Será que deixou de ser? 

Um Português no Campeonato do Mundo de Pesto

Quando viveu em Itália, Tiago Serrenho, engenheiro ambiental, apaixonou-se pelo pesto artesanal. A devoção ao molho genovês levou-o a aprimorar a técnica e a participar na maior competição internacional da modalidade.

A festa do picante

Foi no mês de janeiro, em que o frio nos bateu à porta com inusitada violência e nem as arruadas e arruaças eleitorais nos conseguiram aquecer os ânimos, que me lembrei de viajar até ao nosso cantinho menos agreste, o Algarve. 

À Mesa com os Filósofos (2)

Esta é a segunda parte do nosso artigo “À Mesa com os Filósofos”. Pretendemos trazer para este debate a sempre interessante relação entre a gastronomia e a sua interação com o que pensaram alguns dos mais importantes filósofos apoiando-nos para tal no livro de Normand Baillargeon  com o mesmo  título.

O dia em que fui jantar a casa do Ministro

Já me considerava jantado. Aliás, após o creme, tudo o que se sucedeu foi só mais um prego na minha sentença divina e uma demonstração da fragilidade humana – na esteira de Bosch e do seu Jardim das Delícias Terrenas – quando diante de um dos pecados mortais: neste caso, o da gula.

Quando a chef vira padeira

Até há um ano, Joana Costa estava a dar serviços em restaurantes célebres de Lisboa, como o Fogo ou o Senhor Uva. Hoje está à frente da padaria Isco. Relato na primeira pessoa sobre o que muda quando se trocam os caldos pelas massas. 

Receitas