Inicio Opinião

Opinião

As Estrelas do Eggas

Escrevo na noite em que se atribuem em Valencia as estrelas Michelin. Claro que Portugal, uma vez mais, mostrou estar no caminho certo, somando mais 5 estrelas ao cintilante firmamento da gastronomia portuguesa.

Crónicas de São Paulo. Dia 2. Um jantar perfeito no Jun Sakamoto

Uma vez, não sei há quantos anos, li uma entrevista na revista “Veja” com Jun Sakamoto. Dizia ele que gostava de um dia ter um pequeno restaurante em Nova Iorque, porque em São Paulo era difícil ter o melhor produto. Foi um soco no estômago. Sempre idolatrei Sampa em termos gastronómicos. Não queria ter sabido isto.

Compreender o enoturismo para fazer mais e melhor

O aumento da qualidade do vinho permitiu o investimento do enoturismo. Hoje, temos exemplos de empresas que não ficam atrás de nenhuma outra a nível mundial, mas é preciso continuar a trabalhar na qualidade do serviço, na formação dos recursos humanos e numa promoção mais objectiva. Mas vamos por partes...

Diário gastronómico. São Paulo. Dia 1

São Paulo é uma cidade brilhante. Para comer e para beber. O serviço é geralmente perfeito e profissional, do boteco mais simples ao restaurante mais granfino do pedaço. Foi a minha décima visita e, desta vez, fiz um voo rasante de quatro dias apenas com intuitos gastronómicos. Não podia ter começado melhor.

Prefiro uma boa brasa

Contra todas as modernices, continuo a não ter medo de afirmar que prefiro uma boa brasa. Contra tudo aquilo que não é carne nem é peixe, reafirmo com convicção que uma boa brasa pode mudar a nossa vida. Anunciando uma nova paixão.

Caffè Sicilia. Crónica de uma escapadinha a Noto

Limão, amêndoa de Noto, figo e malagueta são os sabores imperdíveis a experimentar. E aquele brioche, qual fogaça da Vila da Feira, como quem molha o pão no molho das amêijoas ou atira uma colherada de granita em cima dele, é coisa que não deve faltar na nossa bucket list.

Vitória, vitória? Não, não é assim que se acaba a história

Se ensinamos as nossas crianças a fazer contas, a ler e a escrever, se damos atenção à reciclagem e às bases da cidadania, por que não explicamos também como e o que devem comer, para que sejam adultos saudáveis? 

O grande tráfico do picante seco

Por uma razão qualquer, é difícil encontrar em Portugal o picante seco em pequeninos papeletes que tradicionalmente, noutros países, se põe na piza. E um grande amigo meu que gosta de picante é fã. 

Prefiro fruta

A fruta da época tem a grande vantagem de ter uma capacidade de oferta instantânea como nenhuma outra. Mas permitam-me que alterne essa virtude com a sua tão badalada frescura. Registada essa permissão, devo confessar que já encontrei fruta de épocas anteriores bem mais fresca que a tão incensada fruta da época. Mas há quem não goste de refresco.

Prefiro febras

Puxar a brasa à minha sardinha faz muito sentido nos arraiais dos santos populares, mas fora desse santo mês de junho, puxar a brasa às minhas febras não tem o mesmo valor. Por muito boas que elas sejam.

Receitas