Inicio Crítica take away

Crítica take away

A Elegância da Simplicidade

Percorri mentalmente os meus santuários e lembrei-me da magnifica “Cozinha do Manel” onde o casal Mendes nos distingue com a sua simpatia e nos privilegia com uma das melhores cozinhas regionais de Portugal que é quase como dizer uma das melhores cozinhas regionais do mundo!

Uma tasca com a colher torta

Foi assim que nasceu um jantar raro. Num lado da mesa, a melhor francesinha que alguma vez comi em casa. Não faltava nada, nem mesmo o ovo para estrelar antes de montar no edifício forrado a queijo, de estrutura sólida e porte alto.

A Dançar Slow com Fast Food!

A acomodação em que tudo chegou e os aromas que se escapavam das bonitas caixas fizeram-nos viajar para a esplanada fresca do Portarossa ou para a salinha acolhedora e rústica da Casa Vasco.

Quando o templo vai a nossa casa

Venha o polvo à galega, venha o cabrito assado, venha a sopa rica de peixe. Haja fartura, que a morte está certa e a vacina não se sabe. 

Um Chef feito da Terra!

Na substância vou falar de um prato que provavelmente acabará. Porque há sempre no menu um grande prato da cozinha regional. No meu caso, quiseram os Deuses que fosse um cozido do Barroso. O exacto local sagrado em Portugal onde encontramos os melhores enchidos e fumeiro do mundo! 

Agarrado pelos cajus

Numa encomenda recente no Cantinho do Avillez, tive a maior dose de frutos secos de sempre em pratos salgados — e logo com um dos espécimes mais extraordinários, porventura o meu preferido: o caju.

Festa das Estrelas

Um tic-tac enervante até chegar a encomenda aprazada para as 13h30. Chegou, com um jovem diligente no bater das 13h30. Excelente este rigor. A comida vinha bem. Bonita, no ajuste do premium de que estamos à espera.

Fine dining em pantufas

Às tantas, estão quatro panelas ao lume. Duas com água, outras duas mais pequenas, por cima — um duplo banho-maria. Há ainda frigideiras em acção, uma para estalar os grelos em azeite, outra para os cogumelos morilles.

Receitas