Vinho de lagares rupestres. Preparado?

A experimentar

Na Quinta do Salvante, na Aldeia de Santa Valha, em Valpaços, um duplo património é o foco de todo o circuito de visitas: vinhas velhas e lagares rupestres.
Trás-os-Montes será a região portuguesa com maior número de lagares rupestres – mais de 120 foram já identificados. A Comissão Vitivinícola Regional, muito por iniciativa de Ana Alves, abriu o caminho; Nuno Mendes, produtor da Quinta do Salvante, agarrou a oportunidade.

Nuno é a oitava geração de uma família dedicada à viticultura e herdeiro de um tesouro precioso: vinhas centenárias. São estas vinhas que nos dão as boas vindas logo na chegada à Quinta do Salvante. Com as suas formas únicas, moldadas pela natureza, cada cepa parece uma escultura e uma obra de arte fascinante. Apesar de a produção de uva e de vinho já fazer parte do ADN da família foi quando Nuno tomou as rédeas do negócio, em 2007, que a Quinta do Salvante ganhou novo rumo e se deu a conhecer ao público em garrafa – até então o vinho era apenas vendido em garrafão – e com marca própria.

Continue a ler o artigo em Revista de Vinhos.

Últimas