Programa “Abre asas até Mondim” atrai turistas para esbater sazonalidade

A experimentar

A iniciativa “Abre asas até Mondim” desafia à descoberta do município do distrito de Vila Real durante o mês de abril e quer esbater a sazonalidade do turismo através da natureza, desporto, música e gastronomia.

“Durante o mês de abril concentramos um conjunto de atividades que convidam as pessoas a visitar o concelho de Mondim de Basto nesta altura do ano, em que, efetivamente, existe uma maior carência do número de visitantes”, afirmou hoje o presidente da Câmara, Bruno Ferreira.

A terceira edição do “Abre asas até Mondim” desafia, acrescentou, à descoberta do património natural, gastronómico e cultural que o concelho possui e que vai desde as quedas de água das Fisgas de Ermelo, na serra do Alvão, que têm 400 metros, ao alto do Santuário da Senhora da Graça, onde termina uma das etapas da volta a Portugal em bicicleta, passando pela carne maronesa DOP (Denominação de Origem Protegida) até ao pão de ló húmido.

O programa delineado para este mês é “uma mostra” de tudo o que pode ser feito neste território de transição entre Trás-os-Montes e o Minho e inclui caminhadas, passeios de mota e de todo o terreno, trilhos de bicicleta, canoagem, ‘rafting’ e ‘canyoning’, parapente e o ‘trail’ Fisgas de Ermelo.

“Conjugamos os melhores ‘spots’ de natureza, atividades ao ar livre e a gastronomia e a música”, salientou Bruno Ferreira.

A terceira edição do “III Rock no Favo” conta com os concertos de Rita Redshoes, os Trabalhadores do Comércio e os TT Syndicate e, nos dias 26, 27 e 28 decorre o Fim de Semana Gastronómico, realizado em conjunto com a Turismo do Porto e Norte de Portugal.

As iniciativas são realizadas em conjunto com empresas e associações do concelho e, segundo o presidente, “ano após ano há mais pessoas” a “aterrar em Mondim”.

Uma dessas empresas é a PorTrilhos, que vai realizar no dia 14 de abril a caminhada do vinho verde “Sabores e Paisagens de Atei: entre solares e vinhedos” que inclui uma prova de vinhos verdes e de iguarias tradicionais, ao mesmo tempo que dá a conhecer as paisagens da sub-região de Basto e solares históricos desta região.

Criada há seis anos pelo casal Carla Costa e Fernando Portilho que, depois de 25 anos na cidade do Porto decidiu regressar às origens em Mondim, esta é uma empresa de turismo criativo que quer “criar experiências diferenciadoras”.

“Não havia oferta na altura e, de facto, Mondim tem um património natural incrível e faltava alguém que pudesse mostrá-lo aos visitantes”, afirmou à agência Lusa Carla Costa.

O projeto começou com trilhos temáticos como o do pastor ou da maronesa que revelam a região ao mesmo tempo que dão a conhecer a quem os visita estas raças, estas profissões e a sua importância para a região. Os programas de cicloturismo, com bicicletas elétricas, são mais recentes.

Carla Costa disse que o “Abre asas até Mondim” é uma “ótima iniciativa” que ajuda a dar visibilidade ao concelho e a dinamizar a atividade local, e realçou que, apesar da procura crescente pelo mercado nacional, o grande desafio é o mercado internacional.

“O nosso objetivo é trabalhar o mercado internacional para quebrar sazonalidade”, salientou, apontando como épocas com mais procura as férias da Páscoa e os meses de julho e agosto.

A Associação Mondim Atletismo (AMA) organiza o ‘trail’ Fisgas de Ermelo no dia 21 de abril.

Luís Cerqueira, dirigente da AMA, disse que esta iniciativa tem tido uma procura crescente e prevê que, nesta edição, sejam cerca de mil os participantes na caminhada e no ‘trail’ que, este ano, faz parte do campeonato internacional. A maior parte dos que se inscrevem vem de fora deste território e do estrangeiro (Itália e Espanha).

“Os atletas esgotam sempre as inscrições”, sublinhou, apontando a particularidade do trajeto levar os participantes às cascatas que são consideradas uma das maiores da Península Ibérica.

PLI // JAP

Lusa

Últimas