Lactogal adquire totalidade do Grupo Queijos Santiago

A experimentar

A Lactogal anunciou a compra da totalidade das empresas do Grupo Queijos Santiago, incluindo as unidades de produção em Montemuro, Palmela e Portalegre e um Centro Logístico na Venda do Pinheiro, mantendo uma gestão autónoma.

Segundo nota enviada à comunicação social, a empresa de laticínios com sede no Porto “pretende manter a matriz identitária do Grupo Queijos Santiago, pelo que não espera que venham a ocorrer alterações significativas na atual estrutura, que terá uma gestão autónoma e independente”.

A Lusa questionou a empresa sobre o valor do negócio e aguarda resposta.

A transação está ainda sujeita à aprovação da Autoridade da Concorrência.

“Esta integração representa um passo muito importante na prossecução da estratégia da Lactogal para a categoria de queijos e criará uma oferta mais competitiva e diversificada que beneficiará os consumidores”, referiu o presidente do Conselho de Administração, José Capela, no mesmo comunicado.

Já o presidente executivo do Grupo Queijos Santiago, João Santiago, salientou que “este acordo vai permitir à Queijos Santiago e aos produtores que lhe garantem a satisfação das necessidades de leite, beneficiar do excelente trabalho feito pelas cooperativas acionistas da Lactogal, cujas práticas e exigências se traduziram na melhoria da qualidade do leite em Portugal, ao longo de tantos anos”.

O grupo Lactogal detém marcas como a Mimosa, Castelões, Agros, Gresso, Matinal, Vigor, Milhafre dos Açores e Pleno, entre outras, conta com 1.550 trabalhadores e registou um volume de negócios em 2023 de 825 milhões de euros.

A Queijos Santiago foi criada em 1918, em Castelo Branco, e conta com mais de 100 anos de história na produção de queijos nacionais, produzidos com leite nacional, 278 trabalhadores e um volume de negócios de 63 milhões de euros no ano passado.

Últimas