Quando o tamanho não conta

A experimentar

Em Leça, assim com “ç” cedilhado, existe um Lessa, desta feita com dois “ss”, que é a prova provada que há casos em que o tamanho não conta.

Este Lessa pode não ser o restaurante mais pequeno de Leça, e não será seguramente o mais pequeno de Portugal, mas dessa fama não se livra. Essa é que é essa.

Quando o frio, a chuva ou a nortada tornam a mesa exterior infrequentável, uma otimização do espaço abrigado não consegue chegar às 20 pessoas. É caso para dizer que são poucos mas bons, ou melhor ainda, são poucas pessoas mas bem servidas.

Para além das casas de banho, o Lessa só tem uma sala, onde convive em paz quem lá vai para comer e quem lá está para tratar disso mesmo. Estão muito na moda os restaurantes em que se pode espreitar a cozinha, mas neste caso a cozinha é mesmo uma espécie de elefante no meio da sala. Com a vantagem de que nada se parte e tudo se cria e se transforma de uma maneira elegante, simples e tão eficiente que não deixam nenhum cliente de “trombas”.

O Lessa é ideal para quem quiser um almoço mais “light” , ou para aqueles crentes daquela  “religião” , hoje quase proibida , que reza que os almoços de trabalho devem ser mais contidos que os lautos jantares com a família e amigos. Mas que ninguém sonhe que fica com fome.

Convém não esquecer a reserva e, depois lá chegados, lembro que é indispensável ouvir o que o André tem para sugerir. Não se trata das habituais “sugestões do dia” mas sim de uma sugestão criteriosa e inteligente que o dono de Lessa nos faz depois de ter processado as respostas que lhe demos sobre os nossos objectivos e estados de alma do dia.

Na última vez que lá fui, entrei com tártaro do chef e saí com um arroz carolino negro e lulas grelhadas, que respeitaram completamente a minha alma desse dia. Ainda que o bolo de café Toffee e baunilha também tenha dado uma ajuda. Já a pessoa que partilhou a mesa comigo optou por um ceviche e croquetes da Bairrada, igualmente sem que a alma se queixasse.

Estamos a falar de um restaurante que fica perto da praia, mas sempre que o seu supremo objectivo seja comer a olhar para a praia ou com os pés debaixo da mesa mas em cima da areia, faça o favor de escolher outro.

O Lessa ajuda-me a defender que os restaurantes não se medem aos palmos. Neste caso,  deixo aqui umas palmas bem medidas.


Manuel Serrão
Empresário

 

Partilhe este texto:

Últimas