Há excesso de vinho no mundo. Há agricultores a destruir vinhas e a abandonar a indústria

A experimentar

Mesmo com menos produção, há excesso de vinho a nível mundial. O consumo é menor e os desafios para os produtores são cada vez maiores. Há agricultores a arrancar com a vinha.

O mundo tem vinho a mais. Há hoje mais vinho, há mais opções e há preços mais acessíveis do que nos últimos 50 anos. Mas o consumo tem vindo a cair e a desfasar-se da produção.

Tony Townsend é um agricultor australiano que já destruiu metade das suas vinhas, o que corresponde a cerca de sete hectares, e, não fosse a onda de calor que se sente na cidade australiana de Riverland, já teria destruído o resto. A razão? O lucro não iria ultrapassar os custos da colheita. “Adoro trabalhar na indústria do vinho, mas não é viável o suficiente para continuar”, disse à Bloomberg. Apesar de a produção de vinho ser para si apenas um hobby, Tony Townsend sublinha que esta é a atual realidade de muitos produtores que têm na indústria a sua principal fonte de rendimento.

Continue a ler o artigo em Observador.

Últimas