Produção de vinho biológico de Lisboa duplica para 250.000 garrafas em 2023

A experimentar

A produção de vinho biológico da região demarcada de Lisboa duplicou para 250.000 garrafas em 2023, com 13 produtores, segundo dados hoje divulgados.

“Os produtores de vinho biológico da região demarcada de vinhos de Lisboa fecharam 2023 com o dobro da produção e as vendas em relação ao ano anterior”, indicou, em comunicado, a marca Vinhos de Lisboa.

A região conta assim com 13 produtores, acima dos sete contabilizados em 2022.

Já a produção passou de 125.000 para 250.000 garrafas, segundo dados enviados à Lusa.

“A sustentabilidade, do prado ao prato, é um desígnio de toda a fileira agroalimentar nacional e, a Região Demarcada dos Vinhos de Lisboa, está cada vez mais comprometida com a estratégia definida para o setor vitivinícola, assente no novo Referencial Nacional de Certificação de Sustentabilidade do Setor Vitivinícola”, afirmou, citado na mesma nota, o presidente da Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa (CVR Lisboa), Francisco Toscano Rico.

Este responsável disse ainda que a adesão verificada na região de Lisboa à certificação biológica foi alavancada pelos apoios concedidos no âmbito do Plano Estratégico da Política Agrícola Comum (PEPAC).

Neste sentido, Francisco Toscano Rico considerou ser “essencial” que exista “estabilidade e previsibilidade” no PEPAC, o que disse significar a manutenção do regime dentro do primeiro pilar (pagamentos diretos) da Política Agrícola Comum (PAC).

Os produtos de vinho biológico da região demarcada de Lisboa pertencem à Casa Santos Lima, AdegaMãe, Quinta do Montalto, Bio-Grape, Chão do Prado, Quinta de Sant’ana do Gradil, Quinta da Folgorosa, Vale de Cortém, Quinta do Monte D’Oiro, Cas’Amaro, Vale da Capucha, Quintada da Boa Esperança e CPS – Carlos Pereira de Sousa.

Últimas