Cinco vinhos verdes brancos com passado e futuro

A experimentar

Tão diferentes no caráter e tão iguais na forma como abraçam, firmes, os novos tempos.

Aforma como os produtores de vinhos verdes fazem questão de se reinventar – alargando, assim, horizontes, mas sem nunca descurar o património de séculos e séculos de história da sua região e das suas gentes – só pode merecer os mais rasgados elogios. Boas provas.


Alvarinho Deu-La-Deu Histórico 2017

Vinho Verde
Adega Cooperativa de Monção
Alvarinho
20 euros

Se há verdes brancos perfeitos, este Alvarinho Deu-La-Deu Histórico 2017, da sub-região Monção e Melgaço, andará lá perto, pois consegue exprimir – e alcançar – o melhor de dois mundos. Denso e elegante. Tradicional e extravagante. Gordo e leve. Para além de saboroso, fresco, intenso e até, de certa forma, exótico. Cosmopolita. Um vinho de exceção sem recorrer a barrica. Excelente.


Quinta de Monforte Loureiro 2022

 

Continue a ler o artigo em Notícias Magazine.

Últimas