Produtor de uva no Alentejo exportou 30% das 4.500 toneladas vendidas e faturou 19 ME

A experimentar

A Herdade Vale da Rosa, produtor de uva de mesa sediado em Ferreira do Alentejo (Beja), anunciou hoje que vendeu 4.500 toneladas daquele produto em 2023, com um “significativo” crescimento das exportações, que totalizam “30% do negócio”.

Em comunicado, a empresa revelou hoje que este “volume de vendas de 4.500 toneladas”, com destaque para “um crescimento significativo das exportações”, significa que alcançou “mais um marco significativo no desenvolvimento do seu negócio”.

“A campanha do último ano, traduzida numa faturação na ordem dos 19 milhões de euros, apresenta assim um balanço extremamente positivo”, congratulou-se.

Com as exportações a significarem “quase um terço” das uvas comercializadas, mais precisamente a representarem “30% do negócio”, a Herdade Vale da Rosa considerou que os resultados positivos do ano passado contribuem para a firmação da marca.

”Não só junto do consumidor português, mas também na conquista de uma fatia cada vez mais alargada de consumidores internacionais”, acrescentou.

As uvas Vale da Rosa chegam, agora, a um total de sete mercados, sendo Hong Kong o mais recente destino, numa operação que arrancou em 2023 e que se “destaca pela solução pioneira adotada ao nível do transporte”, realçou a empresa.

“Um momento significativo para o Vale da Rosa foi a abertura de caminhos para as exportações [por] via aérea. As uvas ganharam o mercado da Ásia pelas alturas”, nomeadamente Hong Kong, disse António Silvestre Ferreira, administrador da empresa, citado no comunicado.

De acordo com a empresa, “as uvas são enviadas por avião, garantindo que chegam aos consumidores, mesmo nos mercados mais distantes, na sua condição ótima, cumprindo todas as exigências de qualidade”.

Reino Unido, Polónia, França, Hungria, Países Baixos, Hong Kong e Malásia são os mercados internacionais a contribuir para os números agora alcançados pelo Vale da Rosa ao nível das exportações.

O Reino Unido é mesmo “a principal âncora”, ou seja, detém “o maior peso entre todos os mercados de exportação”, salientou.

“Na Europa, expandimos as nossas operações e iniciámos contactos importantes com países árabes, com o objetivo de realizarmos também exportações aéreas para a Arábia Saudita em 2024”, perspetivou António Silvestre Ferreira.

A empresa disse ter dado também “passos importantes”, no ano passado, para a diversificação do negócio, com investimentos na área da agroindústria.

“Em 2023, tivemos avanços significativos, melhorámos a produção de passas e expandimos a produção de vinagre balsâmico, que tem como base uva passa e é envelhecido em tonéis de carvalho provenientes do vinho do Porto”, exemplificou o administrador.

O produtor alentejano informou ainda ter introduzido, no último ano, a embalagem Zero Plástico, “uma nova solução de ‘packaging’ livre de plástico, resultado de um investimento na ordem do meio milhão de euros”.

A Herdade Vale da Rosa possui “uma área de produção de cerca de 280 hectares”, com 13 variedades de uva de mesa, com e sem grainha, de acordo com informações disponíveis na página de Internet da empresa, consultada pela agência Lusa.

Últimas