Restaurantes em Lisboa a experimentar (desde sushi a italianos e muito mais)

A experimentar

A sua lista de restaurantes a ir já está praticamente riscada? Não se preocupe que temos mais sítios para incluir no seu roteiro gastronómico. Agarre nos talheres (ou nos pauzinhos) e vá a estes restaurantes em Lisboa.

Em cada esquina da capital, há um espaço para experimentar novos sabores ou os tradicionais, muitas vezes reinventados, outras tantas da mesma forma que as avós dos proprietários faziam em casa. É, por isso, difícil escolher um restaurante em Lisboa para os dias em que não nos apetece cozinhar – ou, simplesmente, celebrar.

Para os carnívoros, vegetarianos, doceiros, os que não dispensam uma boa massa ou para os que eram capazes de comer sushi todos os dias, temos uma lista (bem recheada) de lugares que vai querer experimentar.

Vamos começar?

Restaurantes em Lisboa a experimentar nos próximos tempos

Nood

Mal colocamos o pé dentro do Nood, sentimos imediatamente a atmosfera asiática – no ar pairam os aromas exóticos (e deliciosos!), nas paredes decoração néon colorida e nas mesas pratos prontos a serem apreciados.

Para aquecer o corpo (e a alma) nos dias chuvosos, sugerimos que comece por provar as gyosas de vegetais (4,95€), o gua bao de porco (5,95€) e os spring rolls (5,40€), seguidos do Pad Thai do Nood (12,50€) e o Katsu don (12,85€), perfeito para amantes de panado de frango!

E, claro, o ramen – existem opções para todos os gostos, com frango, vegetais, caril e porco. O difícil vai ser escolher.

Onde: Saldanha – Avenida Defensores de Chaves, 55, Lisboa.
Quando: todos os dias das 12h às 15h e das 19h às 23h.

Fauna e Flora

Há cada vez mais restaurantes/cafés em Lisboa com ementas em que prevalece a comida saudável. O Fauna & Flora é um deles.

Habitualmente associado ao brunch ou lanches em que a estrela são panquecas ou tostas com ovos, o Fauna & Flora é, agora, muito mais do que isso. Além dessas refeições, tem uma carta para o jantar, mantendo-se aberto até mais tarde do que anteriormente.

Continue a ler o artigo em Saber Viver.

Últimas