Prémio Vinha Douro atribuído a quintas de São João da Pesqueira e Lamego

A experimentar

A primeira edição do Prémio Vinha Douro foi atribuído às vinhas da Cartola, São João da Pesqueira, e da Boiça de Baixo, Lamego, pelo contributo fundamental para a sustentabilidade do Património Mundial da UNESCO.

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) disse que o prémio distingue as boas práticas agrícolas e homenageia os vitivinicultores durienses e foi entregue hoje, em Mesão Frio, durante o 22.º aniversário do Douro Património Mundial da UNESCO.

A CCDR-N anunciou, em comunicado, que foram distinguidas a vinha da Cartola da Quinta das Carvalhas, situada em São João da Pesqueira, e a vinha da Boiça de Baixo, situada em Lamego, respetivamente, na categoria “explorações até 2,5 hectares” e na categoria “explorações com área superior a 2,5 hectares”, por constituírem um “contributo fundamental para a sustentabilidade ambiental do Douro”.

Foram ainda atribuídas duas menções honrosas à Quinta da Gaivosa, situada em Santa Marta de Penaguião, e à vinha do Síbio, situada em Alijó, de “forma a alargar o reconhecimento da diversidade das práticas e valores culturais que compõem a região Norte”.

A esta primeira edição foram submetidas nove candidaturas.

A CCDR-N explicou que este prémio teve como “objetivo distinguir e promover as boas práticas nas intervenções destas vinhas, elegendo o equilíbrio e a harmonia entre as soluções técnicas de inovação e a modernização dos sistemas de cultivo, assim como as medidas de preservação e salvaguarda dos materiais e práticas tradicionais”.

A base da economia da Região Demarcada do Douro é a produção de vinho, à qual se associa o turismo.

O júri do Prémio Vinha Douro foi constituído por oito entidades: a Missão Douro/CCDR-N, a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte, a Direção Regional de Cultura do Norte, o Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, a Liga dos Amigos do Douro Património Mundial, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, a Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense e a Associação dos Viticultores Profissionais do Douro.

O galardão tem uma periodicidade bienal e foi criado no âmbito dos 20 anos da classificação do Alto Douro Vinhateiro Património Mundial, na lista do Património Mundial da UNESCO, na categoria de Paisagem Cultural, Evolutiva e Viva.

O prémio foi entregue durante o evento “Douro: Caminhos do Conhecimento”, que decorreu em Mesão Frio, distrito de Vila Real, e foi promovido pela CCDR-N, em conjunto com Comunidade Intermunicipal do Douro e a Liga dos Amigos do Douro Património Mundial.

Últimas