https://cdn.jornaldenegocios.pt/images/2021-09/img_100x100$2021_09_25_00_12_18_413180.jpg

Preço do cabaz de Natal subiu 10% face a 2022. Azeite está mais caro e bacalhau mais barato

A experimentar

https://cdn.jornaldenegocios.pt/images/2021-09/img_100x100$2021_09_25_00_12_18_413180.jpg

Embora o cabaz de Natal esteja mais caro face a 2022, além do bacalhau, há outros seis produtos num total de 16 da lista de compras monitorizada pela Deco Proteste que ficaram mais baratos. Batatas e couves encareceram, mas o “campeão” em termos de subida de preço é o azeite que disparou mais de 80%.

Um cabaz com 16 produtos para a ceia de Natal pode custar, este ano, em média, pelo menos mais 4,49 euros do que no ano passado, superando a barreira dos 50 euros, de acordo com dados compilados pela Deco Proteste. Azeite foi o produto que mais aumentou e é dos mais pesam na conta final da Consoada.

Esse cabaz custa atualmente 50,80 euros, quando há um ano a despesa com esses mesmos 16 produtos correspondia a 46,31 euros, ou seja, menos 9,7%. A organização de defesa do consumidor alerta, contudo, que o gasto pode ser susperior, atendendo a que nas contas considerou apenas ou uma unidade de cada bem ou um quilo no caso dos vendidos a peso, como bacalhau, perna de peru, batatas ou couves).

Continue a ler o artigo em Jornal de Negócios.

Últimas