Setor agroalimentar aposta em tecnologias mais inovadoras para ultrapassar principais desafios

A experimentar

A inovação tornou-se indispensável na nova onda de transformação digital no setor agroalimentar. Sem ela, as empresas do setor estão condenadas a estagnar e a perder competitividade num cenário marcado pela incerteza, mas também pela entrada de novos atores e pela mudança de hábitos de consumo, conforme referido no relatório “Food trends in Agritech and FoodTech in 2023“, elaborado pela Fundação Europeia para a Inovação e Aplicação da Tecnologia (INTEC) e pela Minsait, uma empresa Indra.

“A transformação digital e sustentável é uma alavanca básica para responder aos desafios de forma inteligente, sustentável e inclusiva. É a capacidade de fornecer soluções tecnológicas de alto valor para a cadeia agroalimentar que transformará as capacidades deste setor tornando-o cada vez mais sustentável e competitivo.”, refere Pedro Moura, responsável da unidade de Phygital da Minsait em Portugal.

O relatório Agri-Food Trends identificou alguns desses desafios que já estão a marcar o ritmo do mercado global e que serão fundamentais para o crescimento de uma indústria cada vez mais necessária no futuro.

Em primeiro lugar, as alterações climáticas e a intensificação de fenómenos naturais adversos estão a afetar o rendimento das culturas e, de um modo geral, todos os aspetos da produção alimentar, agravando o problema da escassez de água. As novas tecnologias incluem sistema de rega inteligente, a reutilização da água na economia circular e a regeneração de águas residuais, lamas e resíduos. Tecnologias como a Inteligência Artificial (IA) permitem a monitorização e a previsão do clima, atenuando os impactos de fenómenos meteorológicos extremos, como secas, granizo e inundações.

Continue a ler o artigo em Tecnoalimentar.

Últimas