Já comeu num restaurante cultural? No centro de Braga vai abrir um e chama-se Antù

A experimentar

Depois de Lisboa, Braga foi a cidade escolhida para a inauguração do novo espaço.

Não há duas sem três. Depois de dois espaços em Lisboa, um em Alfama e outro no Cais do Sodré, o terceiro está prestes a abrir no centro histórico de Braga.

Matheus Veronez, brasileiro de 32 anos, é o mentor por detrás do projeto que, a partir de abril, vai ocupar o número 42 e encher de animação a muito movimentada, pedonal e comercial rua do Souto em Braga.

O Antù é um restaurante mas é, também, muito mais do que isso.

Com uma carta que aposta na gastronomia portuguesa e nos produtos locais, mas com uma abordagem diferente e contemporânea, vai partilhar o espaço com um coworking e com uma série de atividades culturais, exposições de arte e pop up stores de marcas de roupa que vão pôr Braga a mexer.

Pelo menos é isso que querem.

Go!: O que é que podemos esperar deste novo espaço na rua do Souto?

Matheus Veronez (MV): Vou começar por fazer uma espécie de introdução ao nosso projeto. O Antù é um restaurante cultural – pelo menos é assim que nos tentamos definir – onde fazemos ações culturais, como eventos musicais, exposições artísticas e outras iniciativas, como talks de variados assuntos, por exemplo.

Também temos uma agência de conteúdos e prestamos serviços para outras marcas, como a Super Bock e a Sumol.

Em Lisboa, os dois espaços têm conceitos distintos. O Antù Cais do Sodré tem um lado mais noturno, funciona mais como um gastrobar. Em Alfama vigora um restaurante aberto todo o dia, com serviço de pequeno-almoço, almoço e jantar.

No caso de Braga, vamos virar-nos mais para o restaurante, que estará aberto das nove da manhã até à hora de jantar.

Continue a ler o artigo em O Minho.

Últimas