2007: O restaurante sobre o rio que mudou para sempre a oferta gastronómica do Douro

A experimentar

Depois do sucesso do restaurante Cêpa Torta, o chef Rui Paula abriu em 2007 o restaurante DOC, debruçado sobre o rio Douro na Folgosa, concelho de Armamar. A partir desse momento, “o Douro ficou diferente”, abrindo-se a uma gastronomia mais moderna e a um conceito global, sem esquecer as raízes tradicionais. Para chegar ao DOC, percorre-se a EN 222, considerada uma das estradas mais bonitas do mundo. Todas as semanas, para comemorar os 50 anos do Expresso, fazemos uma viagem no tempo, com o apoio do Recheio, para relembrar 50 restaurantes que marcaram as últimas décadas em Portugal

Um a seguir ao outro, revezam-se os barcos subindo e descendo o rio Douro ao largo do Restaurante DOC, na Folgosa, em Armamar. Atentos ao vaivém das embarcações e dos comboios, adornados por montes de xisto e socalcos vinhateiros, Sara Needham e Eric Benzino selam o almoço com um brinde na esplanada. Oriundos de Pittsburgh, na Pensilvânia, estreiam-se no Douro e elogiam. “Teria dificuldade em pensar numa refeição melhor, com uma vista melhor. Está um pouco ventoso, mas a atmosfera, o clima e a paisagem são lindíssimos, e a comida é maravilhosa”, refere Sara. O companheiro concorda: “A vista é de cortar a respiração e ficámos com apreço pelos produtores de vinho que fazem colheitas nestas colinas inclinadas e numa área remota. É incrivelmente impressionante”.

Após visitarem algumas adegas e vinhas, estes turistas norte-americanos perceberam “o quão maravilhosos” são os vinhos do Porto e do Douro e agradecem o apoio do sommelier Bruno Monteiro na harmonização do repasto com néctares durienses. Escolheram o DOC porque “estava sempre mencionado como um restaurante a conhecer nesta zona”, online e em guias de viagem, e a experiência esteve à altura: “É definitivamente um restaurante mais contemporâneo. Ficámos numa quinta e a comida era maravilhosa, mas muito portuguesa, tradicional, e aqui têm esses elementos tradicionais, mas com uma abordagem mais moderna”, nota Sara, que ficou surpreendida pela apresentação do foie gras em terrina, com frutos silvestres e avelãs. Eric elogia a atualidade das técnicas e o facto de esta cozinha ser “mais refinada” e com uma “bonita apresentação”. O momento preferido foi o do “Polvo grelhado”.

Continue a ler o artigo em Expresso.

Últimas