Guardar dentro ou fora do frigorífico? Algumas dicas à luz de novas recomendações

A experimentar

Há novas recomendações, vindas do Reino Unido, quanto aos alimentos que beneficiam da refrigeração. As batatas foram uma das maiores surpresas.

A Which?, considerada a maior associação de defesa do consumidor do Reino Unido, atualizou recentemente as suas recomendações sobre quais os alimentos que devem ser mantidos no frigorífico. Segundo o jornal britânico The Guardian, o item que mais chamou a atenção foi a batata: agora, defende-se que beneficia da conservação a baixas temperaturas, ao contrário do que se julgava.

Na base desta mudança esteve um artigo científico sobre a acrilamida – substância química, classificada como um carcinogéneo, formada quando alimentos ricos em amido são cozidos a altas temperaturas –, divulgado pela Food Standards Agency. “Anteriormente, desaconselhamos o armazenamento de batatas cruas no frigorífico, pois isso poderia levar à formação de açúcares adicionais, que podem converter-se em acrilamida quando as batatas são fritas, cozidas ou assadas”, aponta a agência de segurança alimentar britânica. Ora, dados recentes mostram que isso “não aumenta significativamente o potencial de formação de acrilamida, quando comparado ao armazenamento em um lugar fresco e escuro”, acrescenta. A verdade é que, no frio, as batatas duram três vezes mais.

Há outros alimentos que, pelo contrário, devem ser mantidos fora do frigorífico. Os tomates duram mais – e sabem melhor – quando são mantidos ao natural, já que as temperaturas frias alteram a sua textura e inibem as enzimas que lhes dão sabor. Os pepinos devem ser igualmente mantidos à temperatura ambiente, pois o frio pode deixar o interior mole. (…).

Continue a ler o artigo em Visão.

Últimas