Trança doce

A experimentar

Quem nunca comeu uma arrufada de Coimbra feita por quem sabe o que está a fazer perdeu, sem dúvida, uma guloseima única, mas quem nunca comeu uma fatia de arrufada já com dois ou três dias, bem torrada e bem barrada de manteiga, não sabe o que perdeu….

E que se poderá dizer da massa sovada dos Açores sem se inovar a língua, introduzindo novos adjectivos no seu já completíssimo e comprovadíssimo vocabulário?

E dos folares, dos deliciosos folares que fazem parte integrante do memorial culinário português?

E certo que há bolos de massa finta em muitos outros países – estes bolos fazem parte do património culinário europeu -, mas é igualmente certo que os nossos têm, sobre os outros, a vantagem de serem nossos…

CORTES VALENTE, Maria Odette. Cozinha Regional Portuguesa. Círculo de Leitores, 4º volume

Ingredientes:

Para a massa:

  • 500 g de farinha
  • 10 g de fermento de padeiro seco (ou 30g fresco)
  • 250 ml de leite morno
  • 60 g de manteiga derretida, mas morna
  • 60 g de açúcar
  • 2 ovos
  • 1 colher de chá de sal

Continue a ler o artigo em Alquimia dos Tachos.

Últimas