2003: Garfo de Ouro reconhece excelência do Cimas English Bar no Estoril

A experimentar

Edifício icónico da Marginal, no Estoril, o Cimas English Bar preservou, desde a abertura, em 1941, a classe e a identidade, que levaram espiões, reis, escritores, artistas e muitos políticos, como Marcello Caetano, Francisco Sá Carneiro, Mário Soares e Francisco Pinto Balsemão, a sentarem-se para apreciar a vista e o receituário elegante, mas onde a caça sempre teve lugar de destaque. Foi numa das salas que Marcelo Rebelo de Sousa, hoje, Presidente da República, escreveu à mão a tese de doutoramento, enquanto à mesa, ao longo dos anos, se fizeram e desfizeram governos, ao sabor da cozinha portuguesa. O restaurante recebeu, em 2003, na primeira edição do então “Livro da Boa Cama e da Boa Mesa”, um Garfo de Ouro, como reconhecimento por décadas de excelência gastronómica. Todas as semanas, para comemorar os 50 anos do Expresso, fazemos uma viagem no tempo, com o apoio do Recheio, para relembrar 50 restaurantes que marcaram as últimas décadas em Portugal.

“Uma casa elegante com tradição de cozinha aprimorada ligada à confeção de caça, dispondo igualmente de uma ótima e variada ementa. Quem lá entra, dir-se-ia estar num elegante pavilhão de caça, com decoração e motivos ligados a esta atividade, onde predominam as madeiras de estilo e formosas janelas de guilhotina que deixam ver o mar ali em frente”. Era com esta prosa que a primeira edição do “Livro da Boa Cama e da Boa Mesa”, em 2003, justificava a atribuição de um Garfo de Ouro ao “Restaurante English Bar”, no Monte Estoril. Esta casa era assim uma das primeiras em Portugal a vencerem este prémio, que distinguia os melhores restaurantes no nosso país para a publicação do jornal Expresso.

Continue a ler o artigo em Expresso.

Últimas