De família se faz vinho

A experimentar

João M. Barbosa e Filipe Caldas de Vasconcellos são bons exemplos de como se contam histórias familiares numa garrafa de vinho. Lisboa, Alentejo e Algarve aos nossos copos, neste início de 2023.

Primeiro foram os vinhos das Caves Dom Teodósio, que conquistaram o País pela mão do avô de João M. Barbosa. As Caves Dom Teodósio foram fundadas em 1924, em Santarém, e foram pioneiras na produção de vinhos de quinta. Cerca de 70 anos depois, em 1997, nasce a João M. Barbosa Vinhos, que é hoje responsável por marcas como Ninfa (região Tejo) e Lapa dos Gaivões (Alto Alentejo), produzindo atualmente vinhos de baixa intervenção e que têm evoluído ao longo dos anos, a acompanhar as tendências do mercado, as necessidades da Natureza e o crescimento da família, que está praticamente a 100% envolvida no negócio – seja nas áreas de vendas e de comunicação ou a participar em todas as vindimas e respetivas lavagens de cestos. Aqui, vinho e família confundem-se numa simbiose visível nas características tão diferentes de cada referência que chega ao mercado, quase como se cada uma delas fosse reflexo dos sete elementos mais velhos do clã Barbosa.

Continue a ler o artigo em Visão.

Últimas