Desde a ‘tasca’ tradicional ao restaurante ‘Michelin’, Ordem da Cabidela já reúne “mais de mil irmãos”

A experimentar

A receita de cabidela tem quatro ingredientes essenciais, mas as variações sobre este prato tradicional português são inúmeras, de croquetes a sobremesas, um desafio lançado pela Ordem da Cabidela, que junta chefes e amantes da gastronomia em todo o país.

A Ordem da Cabidela “é uma estrutura informal que agrega pessoas que são amantes da gastronomia e que usa a cabidela como metáfora”, descreveu Paulo Amado, da Edições do Gosto, sobre a ordem, criada em 2016 e que já reúne mais de mil “irmãos”.

“A cabidela é uma receita enraizada em todo o território português, com algumas nuances. Tem origem ali na zona de Braga, que é o ‘frango pica no chão’, mas pelo país inteiro fazem-se cabidelas”, referiu o promotor.

Arroz, vinagre, sangue e galinha são os ingredientes básicos deste prato, mas, “partindo desta ideia de metáfora, há cozinheiros que por vezes se interessam em apresentar uma receita em que é o arroz do rei, mas leva um pouco de vinagre, ou [que destacam] o vinagre, o sangue, ou uma ou outra carne”, comentou.

Os membros da ordem reúnem-se em jantares, em todo o país, em que “um chefe anfitrião recebe outros chefes”, sempre com uma preocupação de equilíbrio de género e da origem dos cozinheiros.

“Há uma mistura entre estrelas Michelin e restaurantes regionais, entre abordagens clássicas e mais arrojadas”, explicou Paulo Amado.

Continue a ler o artigo em O Minho.

Últimas