Dona Sancha: senhora de Silgueiros

A experimentar

Foi há pouco mais um ano que os consumidores se familiarizaram com este nome, um novo produtor no Dão, numa das sub-regiões que concentra um bom número de quintas. O portefólio tem-se alargado, a quinta tem muito para oferecer…

 Texto: João Paulo Martins e Nuno de Oliveira Garcia  Fotos: Quinta Dona Sancha

 O nome tem uma sonoridade antiga, tão antiga quanto a nacionalidade. Era na Idade Média que proliferavam os Sanchos, as Sanchas, tudo gente que herdava propriedades, ora por doação régia ora por heranças familiares. A que deu nome a este vinho, Dona Sancha Gonçalves instituiu em 1186 o Padroado de Santa Maria de Silgueiros. Pela data percebemos que Portugal enquanto país dava ainda os primeiros passos e nem o território estava todo conquistado aos mouros. A tarefa imediata era, então, o povoamento, atraindo pessoas que se fixassem, concedendo-lhes terras. As parcelas desta quinta terão, por certo, estado em muitas mãos até terem chegado ao actual proprietário – Rui Parente -, já de há muito ligado ao vinho, fundador da mais importante garrafeira de Viseu, a Cave Lusa. A actual propriedade resulta da junção de duas quintas: a quinta da Avarenta e a quinta do Senhor Rocha, separadas por uma faixa de terreno que tem vindo a ser adquirida e as duas quintas já constituem um bloco único.

 

Continue a ler o artigo em Vinho Grandes Escolhas.

Últimas