Cozinha da avó à mesa do Grapple Hotel & Spa, em Carrazeda de Ansiães

A experimentar

Eduardo Pinto

Aproveitar o que a região dá para criar pratos saborosos e cheios de classe. Este é o mote para o trabalho de João Escoval, chef natural de Mirandela, no Grapple Hotel & SPA, em Carrazeda de Ansiães.

As propostas da nova carta do restaurante do Grapple Hotel & Spa pegam nos produtos da terra “sem os desvirtuar, reinventando-os na altura de os levar à mesa”. Trocado por miúdos: “Pegar num simples nabo e fazer dele algo fenomenal como um ‘caviar’ ou um ‘ar’ só para complementar um prato”. É como estarmos a comer “um cozido à portuguesa sem nabo, mas com o sabor dele lá”. João Escoval não esconde que, uma vez ou outra, haverá caviar ou foie gras no menu, mas a carta normal do Grapple “baseia-se em produtos de excelência reinventados e inovados”.

Uva, maçã, cabrito, cordeiro e porco bísaro são privilegiados, mas, uma vez que os clientes não são apenas de Trás-os-Montes e Alto Douro, Escoval não quer ignorar o peixe, nomeadamente o robalo de mar e a pescada de anzol, sem esquecer o bacalhau. Em suma, “o mar e a terra em alta cozinha”.
Quanto às sobremesas, “sempre muito sólidas”. O chef não gosta de trabalhar com “muita ficção” nem com cozinha molecular. “O Grapple oferece sempre cozinha de essência e de avó”, frisa.

O chef João Escoval, com uma das suas criações.
(Fotografia de Leonel de Castro/Global Imagens)

 

 

Continue a ler este artigo em Evasões.

Últimas