Sabores da Vida 2022 | O paradoxo do tempo

A experimentar

Li há uns tempos no New York Times algo que me chocou. Que vivemos como estranhos, mesmo com aqueles que nos são mais próximos. Aqueles que mais amamos, com quem partilhamos um tecto, uma mesa, um vinho ou uma cama, teimam em permanecer misteriosos. Há alturas em que a vida desses desconhecidos se parece cruzar (e até fluir) com a nossa, no entanto, a esses momentos seguem-se outros de profundo afastamento. É por isso que pais, filhos, companheiros, irmãos e amigos, mais ou menos próximos, acabam por nos surpreender em algum aspecto/atitude/opinião. Há uma certa estranheza escondida dentro do que consideramos familiar.

Sabores da Vida 2022Do mesmo modo, há algo de familiar escondido naquilo/naqueles que achamos estranhos. Quantas vezes ao falarmos com um “desconhecido” deixamos que as nossas vidas (inicialmente afastadas) se toquem, fazendo com que as perguntas, as respostas e as histórias nos permitam perceber os intrincados padrões daquilo que nos faz diferentes, e ao mesmo tempo, constatarmos indelevelmente os temas que nos aproximam?

Sabores da Vida 2022Porque é que por vezes o familiar nos parece estranho, e o estranho nos parece familiar? A resposta tem a ver com o tempo e com a forma geométrica que este assume. Tem também a ver com o facto de sermos nós que criámos o nosso tempo, diariamente. Desde muito cedo que decidimos quando o nosso dia começa, e também quando termina.

Sabores da Vida 2022Decidimos também as nossas pausas e os nossos ritmos. O nosso tempo é nosso, não de todos. Somente nosso. É apenas quando os nossos tempos se cruzam com os tempos de outra pessoa que a começamos a conhecer verdadeiramente. Mais, não basta que os tempos se cruzem, têm de se cruzar em quantidade e em qualidade. É na balança destes tipos de tempo que podemos ou não nos aproximarmos afectivamente de alguém.

Sabores da Vida 2022Deste modo, parece simples tornarmos alguém mais familiar, basta sincronizarmos os nossos tempos. O problema é que essa sincronização bate de frente com um paradoxo: o paradoxo da forma do tempo. Para que percebámos este embate que nos dificulta a aproximação ao outro, seja este mais familiar ou mais desconhecido, temos primeiro de entender o que é este paradoxo.

Sabores da Vida 2022A lógica diz-nos que o tempo só pode assumir, exclusivamente, uma de três formas: linear, cíclica ou circular. Assim, ou começa e termina (linear), ou se repete infinitamente (cíclica), ou não começa nem termina quase como um loop (circular). Esses três estados com que podemos conceber o tempo são mutuamente e forçosamente exclusivos, pois uma coisa que é linear não pode ser simultaneamente circular ou cíclica.

Sabores da Vida 2022No entanto, a nossa experiência individual quotidiana diz-nos algo completamente diferente. Que o tempo pode ser cumulativamente linear, cíclico e circular. O tempo começa e termina todos os anos, do primeiro de Janeiro ao 31 de Dezembro. Esta é uma linha de tempo única mensurável, ou seja, o tempo parece ser linear.

Sabores da Vida 2022Simultaneamente, o tempo passeia-se do Inverno para a Primavera, segue-se o Verão, depois vem o Outono, para depois regressar o Inverno novamente: uma autêntica cadeia de eventos, ou seja, o tempo parece ter também uma componente cíclica. Mas o tempo não se fica por esta segunda dimensão…

Sabores da Vida 2022No nosso dia a dia também experimentamos o tempo como sendo circular, todos os anos começam no 1º de Janeiro, para acabarem sempre a 31 de Dezembro. Um loop infinito, passando sempre pelos mesmos meses, com a mesma sequência. Desta forma, a lógica diz-nos uma coisa (as formas do tempo não podem ser cumulativas),  a nossa experiência quotidiana outra (as formas do tempo são cumulativas). Um paradoxo que aceitamos pacificamente sem nos questionarmos sobre as suas implicações.

Sabores da Vida 2022Este paradoxo tem animado discussões na comunidade cientifica, e toda a gente parece ter uma opinião, sejam eles físicos, filósofos ou psicólogos. No entanto, não há consenso na resolução desta incongruência temporal. Afinal, não estamos apenas a discutir que forma do tempo tem impacto nas nossas amizades, mas também qual o seu efeito em temas mais fundamentais como a criação do universo.

Sabores da Vida 2022Como físicos, temos que decidir se todo o nosso universo começou com uma singularidade, o Big Bang, que o faz estar em expansão contínua (tempo linear), ou se o Big Bang é um evento final em si mesmo. Ou então se o universo estará num ciclo mais longo de contracção-expansão: a teoria do universo pulsante (o tempo circular).

Sabores da Vida 2022Apesar de ter um doutoramento em Física (deixem-me cá puxar dos galões), não é fácil argumentar acertadamente qual dos tempos o nosso tempo tem. Mas para mim, o debate da forma do tempo não deveria ser necessário ao nível dos afectos, dos sentimentos e daquilo que nos faz, verdadeiramente, humanos.

Sabores da Vida 2022Do ponto de vista humano, das relações e do que nos faz sentir próximo de alguém, seja esse alguém um familiar ou um desconhecido, o tempo tem de forçosamente ser circular. Paradoxalmente, de novo, a ciência não nos é capaz de dizer em qual das formas o tempo se assume predominantemente, mas ao mesmo tempo,  já provou que no domínio dos afectos esse tempo é circular.

Sabores da Vida 2022Um grupo de investigação da Universidade do Kansas conseguiu quantificar o tempo que levamos a desenvolver uma amizade: 140 horas cíclicas!!! O estudo que envolveu mais de 500 participantes mostrou também que as melhores amizades surgiram depois de 300 horas cíclicas. Mas que unidade de tempo é esta, medida em horas cíclicas?

Sabores da Vida 2022As horas cíclicas, metamoforizam o facto de não bastar apenas estar na companhia de alguém para nos amigarmos… É fundamental que as conversas ocorram ciclicamente, regressando quase em loop aos mesmos assuntos, às mesmas piadas, às mesmas histórias, a temas já previamente esmiuçados. Toda esta repetição, cria intimidade, proximidade e identificação.

Sabores da Vida 2022De modo contrário, a conversa fiada e alternada, sem repetição, diminui a familiarização e aumenta a distância entre interlocutores.  Apesar de todos os benefícios de ter amigos, nem sempre é fácil encontrar tempo para construir e manter relacionamentos. Um dos grandes privilégios da nossa infância é a quantidade de tempo não estruturado e repetitivo que passámos com todas as outras crianças e que nos ajuda a desenvolver amizades.

Sabores da Vida 2022É nesta fase que nos deliciamos repetidamente com as mesmas histórias, sempre com o entusiasmo de uma primeira vez. Esta é uma autêntica mina de amigos, e é também por isto, que grande parte dos nossos amigos vem dos bancos da escola. Com o passar da idade (em média após os 25 anos), vamos perdendo esta capacidade de entrar no loop dos amigos, muitas vezes por sentirmos que não temos tempo para investir em velhas histórias que nos conduziriam a novas amizades, ou pelo menos reforçar os laços das antigas.

Sabores da Vida 2022Por tudo isto que vos disse anteriormente, é muito importante que possamos criar espaço para esta autêntica economia circular dos afectos, para aquele tempo que alicerça velhas relações e potencia o surgimento de novas. Clive Staples Lewis, professor irlandês da Universidade de Oxford (e também da Universidade de Cambridge), defende que essas novas amizades surgem, quase sempre, após umas “palavras mágicas”. São elas:  “O quê? Tu também? Sempre pensei que fosse o único achar isso.”

Sabores da Vida 2022Se pensarmos bem, somos obrigados a concordar com Clive Staples Lewis, pois é quando duas ou mais pessoas se permitem descobrir o outro, que todas as dificuldades e hesitações semi-articuladas durante 300 horas elípticas … se transformam numa visão comum, uma espécie de solidão partilhada, que vulgarmente denominamos por amizade.

Sabores da Vida 2022E o que é que normalmente nos faz juntar com outras pessoas, para ouvir velhos relatos de conhecidos ou conhecer novas histórias de desconhecidos? A comida e o vinho, é claro!!! E é por tudo isto que esta “moldura científico-cultural” me pareceu extremamente pertinente para vos falar do Sabores da Vida 2022, curiosamente um evento que também foi pincelado em traços circulares. Já vos falo dele, mais à frente… (não sei se repararam mas estou a usar um esquema circular de repetição em loop para que fiquemos mais amigos :P).

Sabores da Vida 2022Informal e criativo, o Alivetaste – Sabores da Vida, Cuisine & Wine Tasting Sunset é um momento ímpar de lazer que procura proporcionar o tal tempo de qualidade, circular, que permita a troca de experiências e contactos entre profissionais ligados aos vinhos, gastronomia, turismo e comunicação social.

Continue a ler o artigo em No meu Palato.

Últimas