Se acha que o Natal é vermelho, pense Verde

A experimentar

O Natal está a chegar, com as refeições mais festivas do ano, de que já temos uma certa saudade. Já escolheu o vinho que vai servir, ou oferecer? Damos-lhe algumas dicas para festejar todos os sabores

As tradições são importantes pois ajudam a criar identidade e marcam os costumes. Por isso, este artigo traz-lhe sete receitas de Natal e dizemos-lhe quais são os Vinhos Verdes que harmonizam com cada prato. E como a versatilidade é própria destes vinhos, damos-lhe ideias para pratos tradicionais ou mais contemporâneos. O certo é que tem muito por onde escolher.

Um Natal cheio de Verdes

O Vinho Verde é um dos vinhos mais gastronómicos que temos em Portugal. Existe um estilo de Vinho Verde perfeito para cada prato de Natal. Veja como harmonizar as refeições desta quadra com o vinho que só Portugal pode oferecer.

Bacalhau cozido

Em muitas regiões de Portugal, este é o primeiro ingrediente da consoada. O sabor intenso e a textura suave deste peixe pedem um Vinho Verde branco encorpado e intenso, aromático com corpo elegante e aromas minerais. É um vinho que também acompanha pratos apimentados, assim como peixes e frutos do mar grelhados ou pratos de cozinha japonesa, chinesa e tailandesa.

Farrapo Velho

Também se chama Roupa Velha e compõe-se de bacalhau (geralmente faz-se com as sobras da consoada), batatas e ovos, além dos temperos que lhe dão o sabor especial das festas. Para acompanhar este prato, a melhor opção é um Vinho Verde branco estruturado e complexo. É um vinho redondo e persistente, de cor dourada como a palha, que também pode harmonizar com receitas aromáticas e detalhes de especiarias distintos, como os aromas finos torrados e sabores mais intensos.

Peru assado com castanhas

É claro que o peru não pode faltar numa mesa de Natal. E o Vinho Verde que casa melhor com esta iguaria é o Tinto. Não, não é engano. A versatilidade do vinho produzido na Região Demarcada dos Vinhos Verdes chega a este nível de sofisticação. É o companheiro certo para os mais diversos pratos regionais com a sua cor vermelha profunda , o seu aroma vinoso e a sua frescura intensa.

Continue a ler o artigo em Observador.

Últimas