Restaurante Mesa de Lemos recebe ‘estrela verde’ Michelin por cozinha sustentável

A experimentar

O restaurante português Mesa de Lemos foi hoje distinguido com uma ‘estrela verde’ do Guia Michelin, que destaca a gastronomia sustentável, anunciou a empresa numa cerimónia na cidade espanhola de Toledo.

O Mesa de Lemos (Passos de Silgueiros, uma estrela Michelin), chefiado por Diogo Rocha, junta-se aos galardoados portugueses no ano passado – Il Galo d’Oro (Funchal, duas estrelas Michelin) e Esporão (Reguengos de Monsaraz, uma estrela) -, totalizando três restaurantes nacionais com esta distinção em Portugal, que é atribuída na Península Ibérica pelo terceiro ano consecutivo.

“É sempre muito bom ouvir português numa gala como esta”, disse o chef português ao receber o galardão, durante a cerimónia de apresentação do Guia Michelin Espanha e Portugal 2023, que decorreu esta noite em Toledo.

À plateia de cerca de 700 pessoas, deixou o desafio de visitarem a sua região. “Viva Portugal”, terminou.

Em Espanha, foram 13 os restaurantes que mereceram a ‘estrela verde’.

“Juntos, e cada qual à sua maneira, estes estabelecimentos criam experiências que combinam a excelência gastronómica com um notável compromisso com a eco-responsabilidade. Verdadeira fonte de inspiração, tanto para ‘gourmets’ como para profissionais, estes restaurantes fomentam a consciencialização e a ação”, segundo a Michelin.

No total, Espanha e Portugal acumulam 42 restaurantes com ‘estrela verde’, sendo 14 novos.

Na gala, o chef catalão Joan Roca (El Celler de Can Roca, em Girona) recebeu o prémio Chef Mentor.

“Juntamente com os seus irmãos Jordi e Josep, tornou o El Celler de Can Roca (três estrelas Michelin e uma estrela verde) num dos restaurantes mais famosos do mundo”, segundo a empresa.

Joan Roca recebe este galardão “como reconhecimento pelo seu trabalho na formação de distintas gerações de cozinheiros, pois todos aqueles que passaram pela sua casa sentiram o seu imenso amor pela profissão e, em proximidade, puderam aprender tanto as técnicas mais vanguardistas, como os valores de entrega e sacrifício implícitos na mesma”.

Uma novidade deste ano é o prémio Serviço de Sala, que pretende “homenagear o talento e a transmissão de conhecimentos gastronómicos”, e que foi atribuído a Toni Gerez, no restaurante Castell Peralada, em Peralada, que “desempenha magnificamente o seu papel enquanto diretor de sala e ‘sommelier’, funções que acumula”.

O prémio Chef Jovem foi atribuído a Cristóbal Muñoz, que, “com apenas 32 anos, dirige esplendidamente as cozinhas do restaurante Ambivium (uma estrela Michelin e uma estrela verde), em Peñafiel. “Este jovem chef procura a harmonização perfeita entre as partes sólida e líquida, propondo uma cozinha criativa e inovadora, capaz de emocionar sem esquecer as nossas raízes”, descreve a publicação.

Os restaurantes portugueses Encanto (José Avillez e João Diogo), Kabuki Lisboa (Paulo Alves), Kanazawa (Paulo Morais) – em Lisboa –, Euskalduna Studio (Vasco Coelho Santos) e Le Monument (Julien Montbabut), ambos no Porto, recebem uma estrela (‘cozinha de grande nível, compensa parar’) no Guia Michelin Espanha e Portugal 2023.

Últimas