1985: a mesa portuense onde Pinto da Costa e Reinaldo Teles trocavam confidências

A experimentar

Para o sucesso daquele que se tornou no presidente mais titulado do mundo contribuíram muitas figuras, entre as quais Reinaldo Teles (falecido em 2020), que se tornou no “braço direito” de Jorge Nuno Pinto da Costa. Alimentaram uma inabalável confiança mútua e acordaram contratações à mesa do restaurante Antunes, restaurante da irmã de Reinaldo, onde o líder dos Dragões tem sempre disponível o “adorado” arroz de frango com ovos estrelados. Em 1985, o F. C. Porto venceu o primeiro campeonato nacional de futebol com Pinto da Costa na presidência. Mais um motivo para festejar neste acarinhado restaurante portuense. Todas as semanas, para comemorar os 50 anos do Expresso, vamos viajar no tempo – com o apoio do Recheio – para relembrar os 50 restaurantes que marcaram as últimas décadas em Portugal.

A estreia de Jorge Nuno Pinto da Costa na bancada de um jogo do Futebol Clube do Porto aconteceu aos oito anos. Foi com o irmão ao Campo da Constituição ver o F. C. Porto defrontar o Sporting de Braga. Porém, como tiveram de ficar na zona do “peão”, atrás de uma baliza, rapidamente deixou de fitar o relvado, devido à concentração de adeptos. Teve de se contentar com as bolas que, de vez em quando, voavam para o céu. Esse petiz estava muito longe de imaginar que a 23 de abril de 1982 tomaria posse como presidente do clube do coração. Três anos depois, a família portista fica de luto pela morte do mítico treinador José Maria Pedroto. Apesar da infelicidade, em 1985 o F. C. Porto conquista o primeiro título de campeão nacional de futebol com Pinto da Costa na presidência, e Artur Jorge a treinador. Aproveitando um empate do Sporting, os Dragões sagram-se campeões no jogo em casa contra o Belenenses, que vence por 5-1 com uma exibição “verdadeiramente do outro mundo” de Paulo Futre e uma invasão de campo que deixou “quase tudo em trajos menores”, recorda Pinto da Costa no livro de memórias “Largos Dias Têm 100 Anos”.

“Nos minutos seguintes, após telefonar à minha mãe, que muito rezara pelas nossas vitórias, e enquanto uma espantosa euforia invadia o estádio, ‘vejo’ o filme dos três anos! Agradeço a Deus e a Nossa Senhora de Fátima, que invocava sempre antes dos jogos, e, naquele momento, sinto saudades do José Maria Pedroto e da minha avó, que me fizera sócio do clube. Ver que tantos milhares e milhares de pessoas, no Estádio, nas praças, nas ruas, nas casas como nas ‘ilhas’, estavam radiantes, lembrou-me que também se pode ajudar, sobretudo os que pouco têm, a ser felizes. Que bom!”, congratula-se o presidente na obra. A 27 de maio de 1987, celebra a conquista pelo F. C. Porto da Taça dos Clubes Campeões Europeus, em Viena, frente ao poderoso Bayern Munique. Um dos golos desse dia inesquecível foi selado com a classe de Madjer, que atira para o fundo da baliza de calcanhar. Nesse ano, os dragões venceram ainda a primeira Taça Intercontinental da história do clube.

Veja a fotogaleria do restaurante Antunes, no Porto:

A nova sala do restaurante Antunes
A nova sala do restaurante Antunes

Amizade com Reinaldo Teles

Para o sucesso daquele que se tornou no presidente mais titulado do mundo contribuíram muitas figuras, entre as quais Reinaldo Teles. Pinto da Costa conheceu-o quando aceitou o convite para liderar a secção de boxe do F. C. Porto, em fevereiro de 1967, acumulando com a chefia das secções de hóquei em patins e hóquei em campo. “Da minha passagem por esta modalidade, onde aprendi muito, resultou a conquista de grandes amigos. De entre todos, o Reinaldo Teles em primeiro lugar”, afirma no livro de memórias. Reinaldo era atleta de pugilismo e sagrou-se campeão nacional da modalidade. A ligação a Pinto da Costa cimentou-se e, pela mão do presidente, chega a seccionista, à direção do futebol, vice-presidência e administração da SAD. Foi o “braço direito” de Pinto da Costa até falecer, em novembro de 2020. Numa homenagem feita na gala do jornal O Gaiense, o presidente portista elogiou o amigo: “O Reinaldo foi para um sítio melhor e está sempre connosco. Uma vez disse que só confiava no meu cão e no Reinaldo Teles. Tinha uma confiança cega e ilimitada nele”. Acrescentou que “era um homem afável e, mesmo tendo sido atleta de boxe, com uma força invulgar, era um pacificador, um homem bom”, reproduzia a Agência Lusa. Um ano depois da morte, na gala dos Dragões de Ouro, um dos momentos mais emotivos foi a entrega do Dragão de Ouro Recordação a Reinaldo Teles, carinhosamente apelidado “chefinho”. A distinção foi recebida pelos filhos Maria João Silva e Reinaldo Pinheiro.

 

Reinaldo Teles com Pinto da Costa
Reinaldo Teles com Pinto da Costa | João Carlos Santos

À mesa do Antunes

Um dos recantos que reforçou a ligação entre Pinto da Costa e Reinaldo Teles foi o restaurante Antunes, no centro do Porto. A razão poderia ser “apenas” a boa mesa, mas a verdade é que na liderança deste espaço gastronómico está Maria Luísa Teles Pinheiro, irmã de Reinaldo Teles.

Últimas