Ferramenta científica ajudará a decidir a data de fim de validade e consumo dos alimentos

A experimentar

Um terço dos alimentos produzidos anualmente no mundo é desperdiçado (FAO, 2011). De acordo com a UE, a causa de 10% dos resíduos alimentares é a marcação das datas de validade e de utilização, o que leva a que os alimentos sejam descartados mesmo que sejam próprios para consumo. A experiência do Instituto de Investigação e Tecnologia Agroalimentar (IRTA) em alguns projetos mostra que as empresas de processamento alimentar muitas vezes não têm critérios claros ou uma metodologia para estabelecer a melhor data de consumo e que o prazo de validade estabelecido para os alimentos não perecíveis, muitas vezes, não obedece a critérios científicos. Isto resulta em comida deitada fora quando ainda é segura e adequada para consumo.

Para resolver este problema, a IRTA tem em marcha o projeto BESTDATE, cujo principal resultado será uma ferramenta baseada em critérios científicos para que as empresas alimentares e as autoridades competentes possam estabelecer a data de marcação apropriada para cada género alimentício. Além disso, o projeto fornecerá recomendações sobre a tipologia dos estudos para estabelecer a sua duração.

“Ao definir a data limite de consumo, é por vezes dada prioridade aos requisitos comerciais de logística e distribuição e não aos científicos, que consideram os fatores que determinam a segurança e qualidade dos alimentos durante o seu prazo de validade”, explica Maria Dolors Guàrdia, investigadora da área das Indústrias Alimentares do IRTA e responsável pelo projeto.

Continue a ler o artigo em iAlimentar.

Últimas