Rebel Patties. O novo burger bar da Rua da Boavista não quer reinventar a roda (mas quer melhorá-la)

A experimentar

Com carne, peixe, frango ou legumes, a carta do Rebel Patties tem sete hambúrgueres (ou patties), três acompanhamentos e oito molhos. Do lado dos cocktails, há mais de dez opções.

Um burger bar que não quer reinventar a roda, que não tem segredos, não fosse o hambúrguer (ou patty) uma invenção tão antiga, que contar a sua história desde o início requer uma boa dose de suposições. Afinal, “a definição de um patty é alguma coisa dentro de um pão”, explica Luís Gasparinho, proprietário em conjunto com o irmão, Hugo Gasparinho. É isso que se faz na nova casa da Rua da Boavista.

Nem todos os projetos têm o desfecho que se previa. O objetivo passava por trazer para o Rebel Asian, asiático do Cais Sodré, aberto desde 2019, uma componente de fast food, com hambúrgueres de inspiração oriental. O que aconteceu foi diferente: desejado, mas não planeado, nasceu o seu irmão mais novo, o Rebel Patties, na porta ao lado. Como é que as voltas se trocaram? Bastou uma viagem e uma esplanada.

“Antes da pandemia, fui a Berlim para estudar mais opções para o Rebel Asian. Fui ter com uns amigos que me levaram ao Shiso, uma hamburgueria de influência asiática. Era um restaurante muito cool, com bar, com hambúrgueres muito clean, pequenos, com pão de bao. Entretanto, já foi franchizado e até já existe em Lisboa”, conta Luís Gasparinho. “A ideia era trazermos este hambúrguer de influência asiática para o Rebel Asian, o nosso primeiro projeto.”

Continue a ler o artigo em Observador.

Últimas