Nunca houve tão pouco mel em Trás-os-Montes

A experimentar

Pior ano de sempre para os apicultores transmontanos com quebras de produção que podem chegar aos 90%. A seca e os incêndios estão na origem do decréscimo.

O presidente da Associação dos Apicultores do Nordeste (AAN) não tem dúvidas que, dos 40 anos que está ligado ao setor, 2022 é o mais fraco de sempre de produção de mel na região. “Batemos no fundo. A média anda nos três, quatro quilos, quando num ano normal chega a ser de 20 quilos por colmeia. (…).”.

Continue a ler o artigo em Jornal de Notícias.

Últimas