Impacto ambiental da carne, peixe e queijos: “Não temos de deixar de os comer, temos é de comer pouco”

A experimentar

Refeições à base de plantas são melhores para o ambiente do que a carne, o peixe ou o queijo, ou pelo menos assim concluiu um estudo que analisou 57 mil produtos alimentares no Reino Unido e na Irlanda. Sobre isto, Helena Real, secretária-geral da Associação Portuguesa de Nutrição, disse em exclusivo à VIVER SAUDÁVEL: “As pessoas comem imensos produtos de origem animal e aí está o problema”.

Intitulado Estimating the Environmental Impacts of 57,000 Food Products”, o estudo publicado na revista PNAS (Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America) mostra que alimentos como o pão ou à base de plantas têm um baixo impacto ambiental, ao contrário do peixe, queijos ou carnes. “Substituir carne, laticínios e ovos por alternativas à base de plantas pode trazer grandes benefícios ambientais“, apontam os investigadores, citados na altura pela Lusa, que pretendem ajudar os consumidores a comprar de forma mais sustentável.

Com apenas 3% dos produtos analisados com uma composição completamente quantificada, os investigadores desenvolveram um algoritmo baseado nas informações conhecidas para avaliar o impacto ambiental sob quatro fatores-chave: emissões de gases de efeito estufa, uso de recursos hídricos limitados, uso da terra e também a eutrofização aquática (poluição da água). O pão, alguns cereais, certas refeições preparadas ou sobremesas, tal como bolos e bolachas, têm um impacto baixo ou intermédio, mostram os resultados da investigação.

Últimas