Como o genoma do inhame pode contribuir para a segurança alimentar

A experimentar

Cientistas estão quase a terminar a sequenciação do genoma completo de cerca de 1000 amostras de inhame no Oeste africano.

Montes de inhames cabeludos estão alinhados num mercado em Ibadan, na Nigéria, onde os comerciantes regateiam a qualidade e o preço antes de os carregarem em carros para depois serem entregues a consumidores nigerianos. Perto, um homem conduz um carro-de-mão cheio com esses tubérculos.

Os inhames – misturados em massa, transformados em farinha, cozidos ou fritos – dão o sustento e são um meio de subsistência no Oeste africano. Contudo, as condições de cultivo na designada “cintura de inhame” desde a Guiné até aos Camarões estão a piorar.

Continue a ler o artigo em Público.

Últimas