“Produção Sustentável, Consumo Responsável”: 21 entidades foram premiadas com selo de combate ao desperdício alimentar

A experimentar

Do retalho à transformação, passando por associações e a agroindústria. São 21 as entidades que conquistaram o selo distintivo “Produção Sustentável, Consumo Responsável”, concedido pela Comissão Nacional de Combate ao Desperdício Alimentar (CNCDA).

As candidaturas continuam abertas e pretendem valorizar boas práticas. Estão condicionadas ao cumprimento voluntário de um conjunto de compromissos sustentáveis – alguns alinhados com as “Recomendações para a Ação” desenvolvidas pela Plataforma UE Perdas e Desperdício Alimentarmas pretendem seguir uma “lógica simplicista e o mais friendly possível”, assegura Francisco Caldeira, chefe da divisão de organização e produção alimentar, responsável pelo acompanhamento das matérias relativas ao desperdício alimentar, da CNCDA.

O selo insere-se na medida 6 da Estratégia Nacional de Combate ao Desperdício Alimentar, promovendo “uma divulgação que dê ao público a possibilidade de conhecer casos de sucesso na área do desperdício alimentar”, explica Francisco Caldeira. A iniciativa é dirigida a operadores económicos da cadeia agroalimentar: produção primária, transformação industrial, retalho e canal HORECA, bem como pessoas coletivas, de natureza pública ou privada, designadamente organizações não governamentais e instituições particulares de solidariedade social.

Depois de um preenchimento de um formulário de requerimento, a candidatura é “avaliada pelo secretariado técnico da CNCDA que tenta perceber qual o seu âmbito e de que forma está alinhada com os objetivos do selo”. Posteriormente, “são necessários esclarecimentos adicionais junto das entidades e dessa forma atribuímos, ou não, o selo”, continua o responsável. Assim, a entidade recebe um manual de normas, que poderá adaptar às suas necessidades ao nível visual e gráfico e “colocá-lo no seu estabelecimento”.

Continue a ler o artigo em Viver Saudável.

Últimas