Vertical Quinta do Noval | Nanos gigantum humeris insidentes tannum

A experimentar

“Naquela primavera e verão, tornou-se impossível olhar pela janela sem nos entretermos com questões de física, de multiversos colapsando sobre si mesmos, de linhas do tempo a quebrarem como plataformas de gelo na Antárctida. Tudo isso estava realmente a acontecer: máscaras e tiranos, sprays de aerossol e palhaços armados?” Gary Shteyngar.

Estamos em Março de 2020 e enquanto as uvas que originarão o Noval Vintage Nacional 2020 crescem serenamente, o mundo está em convulsão pandémica. Neste cenário, um grupo de amigos (e amigos dos amigos) reúne-se  numa casa de campo em Hudson Valley, para fugirem às contaminações exponenciais de Nova York, e deixarem, serenamente, a pandemia passar (pelo menos era esse o plano).

Vertical Quinta do Noval 2022Nos seis meses seguintes, chega tudo menos essa tal serenidade: novas amizades, romances perigosos e traições surpreendentes. Tudo isto vai forçar cada personagem a reavaliar quem ama e o que mais importa.

Vertical Quinta do Noval 2022Este é o enredo inicial (tirando é claro a referência ao Noval Nacional ;)) do livro Our Country Friends de Gary Shteyngart. Ao longo de todo o livro, Shteyngart enfatiza que cada um dos seus personagens foi deslocado não apenas de seus ambientes cosmopolitas mimados, mas também da suposta sensação de segurança que uma cidade como Nova York normalmente engloba.

Vertical Quinta do Noval 2022Tornados vulneráveis/humanos pela pandemia de um modo nunca antes vivenciado, todos os personagens lutam contra uma verdade que vão preferindo não verbalizar: a de que nenhum dinheiro, talento ou inteligência os pode salvar do medo, da doença ou da morte. É um livro trágico-cómico, uma vez que nos faz rir dos problemas banais que os personagens encontram, mas também nos incomoda com o recordar do medo, da tensão e da dúvida que a COVID-19 nos trouxe.

Vertical Quinta do Noval 2022Com o decorrer da história, Shteyngart muda o foco dessa paródia existencialista para um humor mais próximo dos tons melancólicos e elegíacos de seu ídolo russo, Chekhov. Quem já leu Chekhov percebe imediatamente (a partir do meio do livro) que o princípio de Chekhov se vai cumprir mais uma vez: o de que uma arma colocada no palco tem disparar antes que a cortina desça – a COVID-19 vai também, inevitavelmente, encontrar um alvo naquela casa isolada em Hudson Valley.

Vertical Quinta do Noval 2022No final do romance, os personagens imperfeitos de Shteyngart (cujas preocupações iniciais se prendiam com a canalização, a má rede de internet ou a péssima cobertura telefónica) absorvem lições de humildade, compaixão e fraternidade. É pena que o livro deixe muitas pontas soltas, quase inexplicavelmente, mas tem, no entanto, uma enorme lição: a de que mesmo num ano mau, coisas extraordinárias podem acontecer, coisas essas que nos permitem continuar a rir, a sonhar e a viver.

Vertical Quinta do Noval 2022Em todo o livro a COVID-19 é abordada como um símbolo mutável. No inicio de divisão, de isolamento, de medo de viver no perigo existencial da vida contemporânea. No final, de superação, de persistência, de sobrevivência, de união e de diversidade. Li o Our country friends no inicio deste ano, e fez-me olhar de modo diferente para 2020.

Vertical Quinta do Noval 2022Vamos lá então rever 2020 de outra perspectiva, tivemos vizinhos ingleses que começaram a cantar na chuva com uma festa que cumpriu o distanciamento; uma velhinha com 102 anos que sobreviveu à COVID-19 … por duas vezes; nos EUA um policia recebeu um transplante (que o manteve vivo) por parte uma mulher que ele tinha colocado na prisão uma década antes; uma criança com 7 anos organizou um baile de finalistas surpresa para a sua babysitter após o oficial ter sido cancelado devido à pandemia; unimo-nos, com máscara posta, enquanto país, contra a assassinato de George Floyd; a comunidade cientifica conseguiu em tempo recorde desenvolver várias vacinas contra a COVID, e todos tivemos um pouco mais de tempo para nos (re)conectarmos com a família.

Vertical Quinta do Noval 2022Confesso-vos que, tirando todos os medos e anseios relacionados com a pandemia, tenho por vezes saudades dos dias de confinamento em que tudo era planeado a 4: dos jantares com “traje de gala” com a Clarisse após as crianças terem adormecido, dos lanches no jardim, das pizzas feitas com a Bia e das cabanas (des)construídas com o Gui.  Também no que diz respeito aos vinhos, 2020 é um ano para ser olhado com a perspectiva de copo “meio cheio”, atrevo-me mesmo a dizer, “completamente cheio”.

Vertical Quinta do Noval 2022

Do ponto de vista enológico 2020 foi um ano quente e seco, com um período longo de maturação que culminou numa vindima precoce. Os vinhos resultantes mostraram-se ricos, intensos, encorpados, sedosos e com uma grande densidade. Foi para conhecer 2 deles (bem, na realidade foram bem mais) que nos deslocámos ao The Lodge Wine & Business Hotel, em Vila Nova de Gaia, no dia 10 de Maio de 2022 para uma memorável prova vertical da Quinta do Noval.

Vertical Quinta do Noval 2022A prova começou com todos os Porto Vintage lançados na última década. Com o vermelho rubi Quinta do Noval Vintage 2011 (175.00 €, 97 pts.) e os seus frutos silvestres, chocolate, bergamota, bela acidez, equilíbrio e taninos elegantes; com o rubi-roxo Quinta do Noval Vintage 2012 (155.00 €, 95 pts.) e as suas violetas, limonete, caixa de charuto, ameixa seca, groselha, finesse, frescura e taninos suculentos;  com o rubi-roxo Quinta do Noval Vintage 2013  (165.00 €, 94 pts.) e as suas amoras, cerejas, café, chocolate preto, sous bois, ligeiro fumado, taninos elegantes mas firmes e palato frutado, equilibrado, elegante e bem estruturado; e com o violeta Quinta do Noval Vintage 2014  (120.00 €, 96 pts.) e os seus frutos silvestres, amora, ameixa, groselha, figos, tabaco, boa estrutura, intensidade  e alguma contenção.

Continue a ler o artigo em No meu Palato.

Últimas