Arquitetura, música no jardim, petiscos e cerveja portuguesa: 13 coisas para fazer no fim de semana

A experimentar

Em Braga a arte junta-se à tecnologia, no Porto prova-se um novo brunch, em Lisboa abrem-se as portas à arquitetura, em Setúbal testam-se petiscos à beira mar e em Évora fala-se sobre agricultura.

1. Cervejaria Sem Vergonha

Travessa de Santa Quitéria 38 (Lisboa). Tel.: 21 385 0967. Sábado, das 15h30 às 20h

Para quem já tem saudades dos santos: se já está a pensar em festejar os santos populares como manda a tradição, saiba que o aquecimento pode ser feito já este sábado. A Cervejaria Sem Vergonha organiza um arraial de warm up, a antecipar o que irá acontecer no dia 12 de junho, véspera de Santo António, com música ao vivo do Duo Fox, sardinhas e, claro, muita cerveja à mistura. Debaixo dos guarda sóis, à mesa ou entre as espreguiçadeiras e os sofás XXL, é possível pedir amêijoas à Bulhão Pato, tártaro de atum, caril de gambas ou wrap de sapateira. Os que não dispensam carne, não precisam de fazer fretes, a cervejaria também aposta em carnes maturadas e bifes do lombo, em pregos no pão ou combinações infalíveis com cogumelos. Acompanhe a refeição ao ar livre com um copo de vinho branco gelado ou a típica cerveja que dá nome ao restaurante.

2. Festival “Soil to Soul”

Castelo do Alandroal (Évora). Tel.: 93 201 3469. Sábado e domingo, das 10h às 19h. Entrada: gratuita

Para os que acreditam que somos o que comemos: o movimento que promove a preservação dos solos, a agricultura regenerativa e um sistema alimentar saudável, sustentável e nutritivo começou em 2020 na Suíça e chega agora a Portugal, mais concretamente ao Alentejo. Durante dois dias, o Castelo do Alandroal vai juntar chefs, produtores, artesãos da região e artistas musicais num evento que promete sensibilizar a comunidade para a conservação de recursos naturais, sociais e culturais. Marlene Vieira Lídia Brás, Jóssara Martins, João Sá, Vitor Adão e Mateus Freire são os chefs que vão confecionar pratos com produtos locais em showcookings, Mafalda Sena, Cláudia Viegas, Alfredo Sendim (Freixo do Meio) e Francisco Alves (Porcus Natura), com a curadoria e moderação de Paulo Amado, são os oradores que irão discutir temas pertinentes como a nutrição ou a sustentabilidade, já a cena musical fica a cargo da banda portuense Best Youth e do músico Benjamim que vão ser protagonistas de dois concertos.

2. “I Need to Start a Garden”

Palácio do Chiado –Sala Quintela, piso 1 (Lisboa). Tel.: 21 010 1184. Segunda a domingo, das 12h30 às 23h. Entrada: gratuita

Para ver arte num palácio: depois de Joana Hamrol, Mariana Horgan e Amália Cardoso, é a vez de Mariana Simão inaugurar uma exposição nas paredes deste palácio do século XVIII. Com uma visão abstrata e intimista do que a natureza pode proporcionar, a jovem artista autodidata de 32 anos, que começou por pintar paredes, apresenta duas novas telas e quatro pinturas sobre papel, onde a rigidez dos contornos é assumida, os traços negros e ziguezagueantes são assertivos, os planos sobrepõem-se e as cores não se misturam. “Take my time to watch the flowers bloom” é o título da maior tela apresentada na exposição e consta ser a maior pintada até à data pela artista, não contando naturalmente com as suas gigantescas pinturas murais em projeto como o Village Underground ou o seu mais recente mural a inaugurar em Santarém nas próximas comemorações do 25 de abril, e ainda a exposição apresentada em setembro de 2021 no Espaço Corrente. Amostra está patente até dia 31 julho e conta com a curadoria de Matilde Corrêa Mendes.

2. KUG Flores

Rua das Flores, 135 (Porto). Tel.: 91 363 8944. Segunda a domingo, das 12h às 00h

Para os amantes de brunch e de vinhos: depois do KUG Palácio, a marca Kitchen & Urban Garden chega à rua das Flores, no Porto. Com 55 lugares, este novo jardim urbano mantém uma carta desenhada pelo chef estrelado Rui Paula e conta ainda com um rol de cocktails assinado por Pedro Fernandes, uma oferta com 185 referências de vinho a copo e a presença de um sommelier disposto a ajudar a escolher os melhores néctares para provar no espaço ou levar para casa. Todos os dias, entre as 12h e as 17h30, é servido o brunch, seja em formato menu fechado, com uma opção vegetariana, ou à la carte, à escolha do freguês. Ovos florentine e pinhão, ostras com framboesa, bao de costela teriaky com pepino yutaka, hambúrguer de lavagante com sunomono, tacos de atum com molho de kimchi, ceviche de robalo com leite de tigre, ananás, puré de batata doce e espuma de lima, panquecas de matcha e côco, banana bread com caramelo de tâmaras ou uma versão de tiramisu em formato bola de berlim são alguns exemplos do que pode provar.

 

Continue a ler o artigo em Observador.

Últimas