Caril de coelho

A experimentar

O artigo foi originalmente publicado em Lume Brando

Caril de coelho ou coelho de caril? Seja qual for a designação mais correta para este prato, o mais importante é ser um prato de conforto, aromático e delicioso! Sei que a carne de coelho não é consensual, mas para quem come carne, esta pode e deve ser uma opção a ter em conta, devido às suas características nutritivas e à sua versatilidade.

CARNE DE COELHO: QUALIDADE E VERSATILIDADE À MESA

Em casa dos meus pais sempre se comeu coelho, criado e cozinhado em casa. Normalmente, a minha mãe servia-o estufado, com cenoura e ervilhas, ou então assado. Mas há muitas outras formas de preparar esta proteína de qualidade, sendo o “Coelho à caçador” – em que os pedaços de coelho, depois de marinados, são passados por farinha e fritos, antes de passarem a uma cozedura lenta nos sucos da marinada – talvez a mais conhecida. Se gostam de algo ligeiramente mais exótico, a minha receita de caril de coelho segue mais abaixo.

“FÁCIL, SAUDÁVEL LEVE: A RECEITA DA EUROPA”

Claro, hoje em dia, não é fácil, nem comum, criar coelhos em casa, mas a boa notícia é a de que a cunicultura europeia, incluindo a portuguesa (sim, ‘cunicultura’ é o termo dado à atividade de produção de carne de coelho!) está sob controlo apertado, seguindo rigorosas regras de produção animal. Assim, é garantido ao consumidor final que só a carne mais fresca e cuidadosamente preparada, chega ao supermercado.

De seguida, descobre 10 razões para começar a incluir mais vezes a carne de coelho na tua dieta!

10 motivos para deliciares-te com carne de coelho

1.    Tem baixo teor de gordura;

2.    Não contém ácido úrico;

3.    Oferece aporte de sais minerais, tais como potássio, fósforo, magnésio, zinco e ferro;

4.    Contém várias vitaminas do complexo B, incluindo vitamina B12;

5.    É uma fonte de proteína de alto valor biológico, ou seja, contém aminoácidos essenciais;

6.    Proporciona fácil digestão;

7.    Apresenta baixo teor de sódio;

8.    Apresenta aporte calórico equilibrado:  117 kcalpor cada 100 g de carne;

9.    É bastante versátil, pois adapta-se a vários tipos de temperos e preparação;

10.  Contribui para um consumo sustentável, pois os resíduos do seu processo produtivo são recicláveis.

E ainda um motivo extra! Atentos às exigências da vida atual, os produtores colocam agora à disposição dos consumidores novos e práticos cortes de carne de coelho. No supermercado irás encontrar embalagens de lombos, de coxas ou de meio coelho cortado. Impecavelmente limpo e arranjado, pronto a cozinhar!

CARNE DE COELHO: “O SEGREDO DA DIETA MEDITERRÂNEA”

Leveza, equilíbrio, saúde e sustentabilidade, são termos que caracterizam a nossa dieta mediterrânea e da qual a carne de coelho faz parte. Acontece que, no meio da abundante oferta de produtos e ingredientes existente hoje em dia, muitas vezes nos esquecemos desta carne e dos seus benefícios.

A campanha da Associação Portuguesa de Cunicultura (ASPOC), em parceria com a União Europeia, “O segredo da dieta mediterrânea”, pretende relembrar que esta deliciosa opção existe, agora disponibilizada de forma ainda mais prática, com os novos cortes prontos a confecionar. A minha receita – um caril de coelho muito fácil de fazer, que segue mais abaixo -, é só uma das muitas maneiras de cozinhar carne de coelho e mimar a tua família!

Sabe mais sobre a carne de coelho e esta campanha em carnedecoelhoosegredo.pt

Encontra mais receitas no Facebook no Instagram desta iniciativa.

Artigo escrito em parceria com a ASPOC/União Europeia no âmbito da campanha “Carne de coelho, o segredo da dieta mediterrânea”.

CARIL DE COELHO

INGREDIENTES

1 coelho limpo e partido em pedaços
1 cebola grande
3 dentes de alho
1 folha de louro
1/2 copo de vinho branco
1 lata de tomate pelado
1 lata de leite de coco
1 colher de sopa de caril em pó
1 colher de chá de cominhos em pó
1 colher de chá de curcuma em pó
Sumo de ½ limão
Alho em pó q.b.
Azeite q. b.
Sal q. b.
Pimenta preta q.b.
Coentros ou salsa picados para servir

MÉTODO

Com alguma antecedência – uma a duas horas -, coloca os pedaços de coelho numa taça e junta um bom fio de azeite, o vinho branco, as folhas de louro, alho em pó, sal, pimenta e um pouco de caril em pó.
Aquece um bom fundo de azeite num tacho grande e junta o restante caril em pó. Deixa libertar algum aroma e junta, escorridos (reservando a marinada), os pedaços de coelho, deixando cozinhar por uns minutos, até estarem ‘selados’.
Junta a cebola e o alho picados e deixa cozinhar até amolecerem e alourarem.
Adiciona o líquido da marinada e deixa cozinhar mais um pouco.
Junta o tomate pelado e os seus sucos, envolve bem, prova, retifica os temperos – adicionando uma boa pitada de cominhos e curcuma – e deixa cozinhar até o coelho estar macio.
Enquanto o coelho cozinha, prepara um arroz branco.
Por fim, junta o leite de coco, volta a provar e a retificar os temperos e deixa levantar fervura.

Continue a ler o artigo em Lume Brando.

Últimas