Leguminosas – alimentos em substituição da carne

A experimentar

As leguminosas são sementes, que nascem em vagens e têm grande valor nutricional. São alimentos ricos em fibra, proteína vegetal, minerais e vitaminas do complexo B. Têm baixo teor de gordura e não contém colesterol. O ano de 2016 foi declarado pela ONU como o Ano Internacional das Leguminosas.

O consumo de leguminosas secas em Portugal, no ano de 2019, foi de 4,7 kg por habitante e o consumo de carne foi de 115 kg por habitante. No período de 2016 a 2019 a ASAE, com o objetivo de garantir a Segurança Alimentar, analisou 163 amostras de diversos tipos de alimentos, dentro das leguminosas, executando 1269 ensaios. Foi obtida conformidade, com a legislação em vigor, em 99%. Este resultado de conformidade mostra que o consumo de leguminosas, nas formas existentes no mercado, é seguro.

INTRODUÇÃO

«Durante séculos, as leguminosas constituíram uma fonte essencial de proteínas na alimentação humana e não só, mas nas últimas décadas o consumo tem estado a cair. Quando se perspetiva um futuro alimentar sustentável, as leguminosas regressam à ribalta dos debates, potenciando soluções para diversos problemas» (Freire, 2016).

As leguminosas são sementes que nascem em vagens ricas em tecido fibroso. Existem duas categorias: grão (feijão, lentilha, ervilha, fava, grão-de-bico, tremoço) e oleaginosas (amendoim, soja).

Estes alimentos são de grande valor nutricional, são ricos em hidratos de carbono de absorção lenta, fibra, proteína vegetal, minerais, vitaminas do complexo B e antioxidantes. Têm baixo teor de gordura e não contém colesterol (ISEP, 2016; Motta et al., 2016).

As proteínas, as vitaminas, os minerais e as gorduras são nutrientes essenciais ao organismo humano. A nível da regulação celular (proteínas), intervenção em processos metabólicos que asseguram a vitalidade e energia diária (vitaminas), manutenção da atividade muscular e nervosa (minerais) e os grandes fornecedores de energia (gorduras). As proteínas são constituídas por aminoácidos essenciais, mas a proteína vegetal apenas fornece uma parte desses aminoácidos tão importantes para a nossa saúde. A proteína animal fornece todos os aminoácidos essenciais. O ano de 2016 foi declarado pela ONU como o Ano Internacional das Leguminosas, com o objetivo de consciencializar sobre a importância destes alimentos, principalmente na saúde e na nutrição.

Alimento substituto da carne

A carne é um alimento rico em proteína animal, gordura, vitaminas e minerais, sendo que uma pequena porção de carne fornece quantidades apreciáveis de nutrientes ao organismo humano. Um dos problemas de uma alimentação em que a carne é predominante, principalmente a vermelha, é o consumo elevado de ácidos gordos saturados e colesterol, o que leva a um aumento dos níveis de colesterol no sangue (Alfaiate & Sol, 2020).

Continue a ler o artigo em TecnoAlimentar.

Últimas