Médicos na cozinha para ajudar doentes a travar doenças crónicas

A experimentar

Nova Medical School lança o curso “Culinary Medicine”, considerando que os médicos “são a primeira linha de acesso ao doente e têm de saber daquilo que é a bioquímica, o metabolismo e os alimentos”.

A Nova Medical School vai levar os médicos para a cozinha para que possam ensinar aos utentes que a alimentação saudável é mais do que cozidos e grelhados e ajudar a travar a pandemia das doenças crónicas.

Muitas vezes o doente processa a informação de forma errada. Por exemplo, quando o cardiologista diz que se tem de comer mais peixe, porque a gordura do peixe é específica, as pessoas muitas vezes vão cozer ou grelhar, perdendo a gordura saudável”, explicou à Lusa Conceição Calhau, responsável pela área de Nutrição da Nova Medical School – Faculdade de Ciências Médicas, da Universidade Nova de Lisboa.

Sobre o curso “Culinary Medicine”, que é lançado na quarta-feira, a especialista explica que o objetivo é dar aos médicos — internos e de medicina geral e familiar — ferramentas que respondam a um dos grandes desafios que a sociedade enfrenta: o combate às doenças crónicas.

“As pessoas, por vezes, não sabem sequer qual o peixe que devem comer, como o selecionar e como o cozinhar”, explicou a especialista, acrescentando: “Precisamos de preparar os médicos para a medicina preventiva, que passa pelos estilos de vida”.

Continue a ler o artigo em Observador.

Últimas