“Isto é uma loucura, o preço nunca esteve tão alto”: apreensões de alfarroba sobem 425% no Algarve

A experimentar

Autoridades e produtores dão maior atenção a este tipo de crime, numa altura em que o fruto atinge preços recorde. Em 2017 era vendido a 5 euros a arroba, atualmente vale 42. Este ano foram furtadas 64 toneladas, no valor de quase 180 mil euros.

De 1 de janeiro até 23 de novembro foram apreendidos 29.716 kg de alfarroba furtada no Algarve, revelou ao Expresso o Comando Territorial de Faro da GNR. Uma subida de 425% em relação a 2020, quando, em todo o ano, tinham sido apreendidos apenas 6.983 kg. O total furtado em 2021 (63,9 toneladas) até é inferior ao do ano passado (65,5 toneladas), mas autoridades e produtores aumentaram a atenção para o crime, numa altura em que o fruto bate recordes nos mercados.

josé pedro tomaz

“Isto é uma loucura, o preço nunca esteve tão alto. Cada arroba [15 kg] está a valer 42 euros”, explica André Coelho, 45 anos, produtor de alfarroba no concelho de Loulé. “Agora, veja-se, as quase 64 toneladas furtadas, quanto é que não valem?”, pergunta. Aos preços de hoje, valem 178.920 euros. “É muito dinheiro para nós, que somos quase todos pequenos ou médios produtores. É um pesadelo.”

“Pesadelo” que começou “há uns 10 anos, e tem vindo a aumentar”, diz André Coelho. Em particular, desde que o fruto começou a sofrer uma forte valorização. Em 2017, cada arroba era vendida por cerca de 5 euros. No ano passado estava pouco acima dos 10 euros. Agora vale quatro vezes mais. “O aumento do preço da alfarroba, nos últimos dois anos, fez com que, por um lado, houvesse uma maior preocupação dos agricultores (…) e, por outro, se tornasse mais propícia a ocorrência de furtos”, reconhece a GNR.

Continue a ler o artigo em Expresso.

Últimas