https://static.globalnoticias.pt/dv/image.jpg?brand=DV&type=generate&guid=a62912c5-f02b-453f-9de4-7ec095a0dbc5&w=350&h=232&t=20211129032507

Vinho: 6 em cada 10 empresas exporta para os EUA, mas a maioria não tem mais de 5 clientes

A experimentar

https://static.globalnoticias.pt/dv/image.jpg?brand=DV&type=generate&guid=a62912c5-f02b-453f-9de4-7ec095a0dbc5&w=350&h=232&t=20211129032507

Seis em cada dez empresas portuguesas exportam já os seus vinhos para os Estados Unidos, mas apesar de este ser o segundo maior mercado de bebidas alcoólicas do mundo, só ultrapassado pela China, este destino não representa mais de 10% das exportações para a maioria das companhias. Só uma em cada dez assume destinar ao mercado americano entre 25 a 50% das suas exportações.

Os dados foram hoje apresentados no seminário ‘O mercado americano de vinhos – Potencial para Portugal’, organizado pela associação AmCham Portugal, em parceria com a AESE Business School e a PwC, mas são ainda preliminares, já que o estudo final de caracterização do mercado será apresentado no início de 2022.

Resultado de um inquérito realizado a 64 empresas, representativas do setor e das várias regiões vitivinícolas do país, o estudo indica que 78% das companhias são exportadoras e que, em 34% dos casos, as vendas ao exterior representam mesmo mais de metade da sua faturação. Das não exportadores, 66% planeiam sê-lo no espaço de dois anos. Bélgica, Alemanha, França e Países baixos são os principais destinos de venda na União Europeia e, fora dela, são o Brasil, Canadá, Reino Unido e Angola. Os EUA não aparecem sequer no top 8 dos inquiridos.

Continue a ler este artigo em Dinheiro Vivo.

Últimas