Gastronomia. Uma coroa, várias caras! Este é O Raposo

A experimentar

O Raposo traz os passos do séc. XX, apresenta-se com estilo europeu, sem deixar de ser uma mesa familiar.

Passeando pelo lado par, surge uma pastelaria marroquina e um restaurante com cozinha do sul da Índia, no passeio dos ímpares há uma pizaria artesanal (de forno vistoso na sala), o espaço de uma defunta ‘taberna moderna’ está a caminho de ser um restaurante de sushi, outra pizaria, uma cervejaria de pratos do dia. Cruzamos as margens de novo para a ala dos números pares onde há um snack-bar com especialidades alemãs e brasileiras (da currywurst à galinhada), um restaurante marroquino, e neste mesmo lado, os decanos Vasku’s Grill (agora com mais enfoque nas carnes maturadas), O Raposo, e o tradicional O Vitral.

Estamos numa rua de 480 metros que ilustra parte da Lisboa cosmopolita que surgiu nos últimos anos. Esta artéria alfacinha com cozinhas do mundo não podia ter melhor topónimo do que Passos Manuel. Manuel da Silva Passos (1801-1862) foi um dos pioneiros do liberalismo português. Foi um ministro do reino reformador, reconhecido tribuno e parlamentar.

Continue a ler o artigo em Expresso.

Últimas