André Lança Cordeiro: “Planos mudam, imprevistos acontecem, mas é fundamental que nos avisem”

A experimentar

O chef do restaurante Essencial, em Lisboa, é o impulsionador no movimento “Reserva e Aparece”, que pretende sensibilizar os clientes para os prejuízos causados aos restaurantes pelos clientes que reservam, não comparecem e não cancelam as reservas.

Depois de vários meses fechados, e de muitos outros a trabalhar com limitações, reabrir o meu restaurante Essencial trouxe-me uma alegria imensa. Mas, se por um lado, ficámos muito satisfeitos de poder voltar a receber os nossos clientes e amigos, por outro lado, começámos a aperceberemo-nos que havia um novo problema para gerir: o dos no shows (pessoas que, simplesmente, fazem reservas e não aparecem). Nos últimos meses, os números de no shows não só no Essencial, mas também nos restaurantes de outros chefs com quem tenho falado, têm crescido significativamente. O movimento Reserva e Aparece nasceu, assim, de uma necessidade de unir os profissionais da restauração de forma a combater este problema, que se torna muito prejudicial para a área.

Muitas pessoas não o sabem, mas na restauração, na maior parte das vezes, trabalha-se horas a fio para que tudo esteja perfeito na hora de receber os clientes. Há um lado deste trabalho que o cliente não vê – as horas infinitas de preparação dos produtos, as limpezas, as mesas marcadas ao milímetro, os copos e talheres polidos – mas fundamental para cumprir o objetivo de qualquer restaurante: proporcionar aos clientes a melhor experiência possível.

Continue a ler o artigo em Boa Cama Boa Mesa.

Últimas