Pavlova de final de verão

A experimentar

O artigo foi originalmente publicado em Lume Brando.

As pavlovas são todas iguais? Bem, os ingredientes da pavlova tradicional (sim, porque há quem já faça pavlovas alternativas, recorrendo, por exemplo, à água de cozer o grão-de-bico, a famosa ‘aquafaba’), são sempre os mesmos: claras, açúcar, um estabilizante, que pode ser vinagre ou sumo de limão ou cremor tártaro, e um espessante, que pode ser farinha de milho ou amido de milho.

PAVLOVA ERA O NOME DA BAILARINA RUSSA QUE INSPIROU ESTA SOBREMESA

Então, o que pode mudar na pavlova, tornando-a numa sobremesa que se adapta a todas as estações e que se pode reinventar indefinidamente? Os toppings, claro!

A versão que trago aqui é um hino ao início do outono, que está aí não tarda nada.

Natas, figos, uvas… e um fio de mel caseiro, acabado de chegar.

Vistosa, muito fácil de fazer e versátil – podes optar por minipavlovas, por exemplo. A receita segue mais abaixo.

Ah! a minha ficou com bastantes rachas – o que é relativamente normal, no entanto também foi porque a fiz com algumas distrações.

Se seguires a receita à risca, vais obter uma pavlova mais perfeitinha (mas sempre frágil, atenção).

Para umas minipavlovas igualmente deliciosas, espreita a receita de minipavlovas de café com molho de chocolate!

PAVLOVA DE FINAL DE VERÃO

INGREDIENTES

200 g de claras (cerca de 6 ovos L)

375 g de açúcar

1 colher de sobremesa de sumo de limão

1 colher de sobremesa de farinha de milho

1/2 colher de café de extrato de baunilha

1 pitada de sal

+

1 pacote de natas

Figos, uvas e mel qb

MÉTODO

Liga o forno nos 140ºC e forra um tabuleiro de forno com papel vegetal.

Começa a bater as claras com uma pitada de sal.

Quando começar a ganhar consistência, começa a adicionar o açúcar aos poucos.

Antes da última adição de açúcar, já com o merengue bastante firme, junta o limão, a baunilha e a farinha de milho e bate mais alguns segundos, até estar tudo bem incorporado.

Dispõe o merengue sobre o papel vegetal, em forma de monte, dando-lhe depois a forma de uma chama, com a ajuda de uma espátula.

Leva ao forno durante cerca de uma hora, depois baixa a temperatura para os 120ºC e deixa cozer mais uns 45 minutos.

Estará pronta quando, se tentares descolá-la com cuidado do papel vegetal, a pavlova descolar facilmente.

Entreabre a porta do forno e deixa arrefecer lá dentro.

Quando estiver fria, já podes bater as natas e decorá-la.

‍Continue a ler o artigo em Lume Brando.

Últimas