https://s3.observador.pt/wp-content/uploads/2016/12/09053608/19596450.jpg

Setor da pecuária repudia restrições nas ementas das escolas

A experimentar

https://s3.observador.pt/wp-content/uploads/2016/12/09053608/19596450.jpg

Representantes do setor da pecuária “repudiam e condenam” o despacho do Governo que regula a alimentação nas escolas, restringe alimentos como chouriços, salsichas ou hambúrgueres.

Várias associações representativas do setor da pecuária uniram-se num manifesto contra o novo despacho que regula a alimentação nas escolas, repudiando que produtos como chouriços, salsichas ou hambúrgueres sejam rotulados como “prejudiciais à saúde”.

No documento esta terça-feira divulgado, o manifesto “Por uma alimentação consciente em Portugal”, os representantes do setor “repudiam e condenam” o despacho do Governo, publicado em agosto, que regula as ementas escolares, excluindo, a partir deste ano letivo, alimentos como alguns produtos de charcutaria ou hambúrgueres, para além de impor outras restrições com vista a reduzir o consumo de sal e açúcar.

Consideramos um despacho empírico, tendencioso, e com informação contestável, não suportada em quaisquer estudos científicos e nem fundamentada na legislação em vigor nacional e comunitária. Afirma que os alimentos de origem animal prejudicam a saúde, quando são produzidos ao abrigo de padrões de elevado rigor de higiene. Os operadores económicos só podem colocar no mercado alimentos seguros”, lê-se no manifesto do setor da pecuária.

O documento sublinha ainda que alimentos seguros, de acordo com a legislação em vigor, “são alimentos sem risco para a saúde, não são por isso nem prejudicais e nem impróprios para a saúde dos consumidores”.

Continue a ler o artigo em Observador.

Últimas