Vamos ao restaurante do bairro? No Drogaria serve-se comida portuguesa atualizada

A experimentar

Paulo Aguiar recuperou o espaço de uma antiga drogaria e transformou-o num elegante restaurante de bairro, em Lisboa. O novo chef executivo, Daniel Sousa, apresenta o receituário tradicional português com um toque contemporâneo, inspirando-se nos locais por onde passou

A gastronomia “foi sempre um dos faróis” das viagens feitas por Paulo Aguia, proprietário do novo restaurante Drogaria. Abriu, inclusivamente, um restaurante português em Timor, o Pau de Canela. Sentiu, também, que era importante dinamizar as áreas centrais de Lisboa, algumas ainda “pouco exploradas”, e “divulgar os cantinhos” mais discretos, como esta antiga drogaria. Ao mesmo tempo, reaviva memórias da infância, passada num bairro que nunca deixou de ser o seu. Queria uma coisa gira, pequenina, sem grandes pretensões, focada na comida portuguesa”com roupagem atual.

Drogaria – chef Daniel Sousa

Essa é a abordagem do novo chef executivo do restaurante Drogaria, o beirão Daniel Sousa, que parte do receituário tradicional português e acrescenta “inovações para as pessoas terem uma experiência um pouco diferente e sentirem as influências” dos locais por onde passou: o Algarve (Vila Joya e Vila Monte Farm House), o Alentejo, Porto (Restaurante Pedro Lemos), França (Alain Ducasse Culinary School), Barcelona (AbaC), Macau (Restaurante António e o Robuchon au Dôme, com três estrelas Michelin) e os Açores (Azor Hotel).

Continue a ler o artigo em Boa Cama Boa Mesa.

Últimas