Três vinhos tão sedutores como acessíveis

A experimentar

Cerca de dez de euros é quanto basta para levar para casa um vinho português de excelente qualidade. A opinião do crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva.

Voltamos ao tema da boa relação entre qualidade e preço dos vinhos portugueses, que é real e funciona como garantia de segurança para os consumidores. Essa relação virtuosa manifesta-se nos vinhos de todas as categorias, dos mais caros aos mais baratos, ou seja, dos vinhos topo de gama aos vinhos correntes ou do dia a dia. E é nestes que atinge a melhor expressão: por menos de meia dúzia de euros encontramos vinhos muito bem-feitos, equilibrados e agradáveis; dobrando esta bitola, temos vinhos com estrutura, elegância e caráter já surpreendentes.

Damos, como exemplos, o Vicentino Pinot Noir Naked Rosé 2020, do Alentejo; o Quinta dos Abibes, Sauvignon Blanc 2020, da Bairrada; e o Crasto Douro Tinto 2019, vinhos com versatilidade e dignidade suficientes para estar, quer no convívio de amigos à conversa e à bebida, quer na mesa com pratos adequados ao perfil de cada um.

Continue a ler o artigo em Visão.

Últimas