Vinhos de altitude: um roteiro de enoturismo na Beira Interior

A experimentar

Região de Denominação de Origem Controlada desde 1999, ganha destaque pela qualidade dos vinhos, cheios de caráter e frescura. Estes espaços de Enoturismo são a melhor maneira de os descobrir.

Chama-se Beira Interior à zona geográfica localizada entre a Serra da Estrela, o Douro e o Alentejo. Tem 26 municípios, 12 da Guarda, 12 de Castelo Branco, 1 de Coimbra e 1 de Santarém, além de fazer fronteira com Espanha. É o terroir ideal para fazer os chamados vinhos de altitude, cada vez mais premiados e procurados pelos consumidores. Com mais de duas dezenas de produtores, alguns de pequenas dimensões, começa a abrir-se ao público com propostas de Enoturismo, onde dão a conhecer, além dos vinhos, os processos de produção e os produtos endógenos da região. Conheça a seguir cinco espaços que são de visita obrigatória.
Adega 23

Adega 23
O projeto desta adega nasce da paixão de Manuela Carmona, médica oftalmologista, nascida na região, pela história e pela cultura do vinho. Os primeiros vinhos produzidos chegaram ao mercado em junho de 2018, mas foi o edifício da adega quem primeiro se impôs, na cota mais alta dos 12 hectares, e visível da autoestrada A23, que atravessa a vinha e deu-lhe o nome. Ao fim de semana na Adega 23, por marcação, é Manuela Carmona quem faz as visitas, no resto da semana, esse trabalho cabe a José Hipólito, o enólogo escolhido para fazer os vinhos desta casa. Há visitas simples à adega com prova de dois vinhos (€8), se a preferência for para acompanhar a prova com petiscos regionais, por marcação, também é possível (€15). Com preço sob consulta há, na altura própria, programas de vindimas e até piqueniques na vinha, feitos à medida de cada cliente.
Estrada dos Amarelos, Saída 20 da A23, Sarnadas de Ródão. Tel. 910454141

Adega Cooperativa Figueira Castelo Rodrigo
Continue a ler o artigo em Boa Cama Boa Mesa.

Últimas