Covid. Restauração dividida entre o “é tudo muito confuso” e “o mais importante é trabalhar”. Mas o controlo dos acessos vai ser difícil

A experimentar

Para já ninguém está a pensar em fazer controlos especiais ao documento que for apresentado pelo cliente, dizem empresários e dirigentes associativos sobre as novas regras de acesso ao fim-de-semana, a partir das 19h.

As novas regras que vêm exigir a apresentação de certificado covid digital ou teste negativo para entrar nos restaurantes dos concelhos de risco aos fins-de-semana, entre as 19h e as 22h30 deixou os empresários do sector divididos. Dizem que “é tudo muito confuso”, mas assumem que “o mais importante é trabalhar”.

“Entre fechar às 15h30 ou poder estar aberto para receber clientes com certificados ou testes covid, opto obviamente pela segunda opção”, diz ao Expresso Nuno Rocha, gerente de 5 restaurantes em Matosinhos, numa posição que coincide com a de outros colegas do sector ouvidos pelo Expresso.

Em comum, todos parecem viver mais uma vez um momento de incerteza perante aquilo com que vão ter de lidar e esperam uma maior definição das regras para definirem formas de atuação, mas certo é, para já, que ninguém está a pensar em fazer controlos especiais ao documento que for apresentado pelo cliente.

Não vão pedir cartão de cidadão para confirmarem se o certificado covid é mesmo da pessoa que o apresenta? “Temos de confiar nas pessoas”, diz um. “Estamos numa fase em que cada um tem de assumir a sua quota parte de responsabilidade”, responde outro. “Talvez alguns clientes joguem uma carta viciada, mas será certamente uma minoria”, comenta um outro.

Continue a ler o artigo em Expresso.

Últimas