Crítica de Fernando Melo ao restaurante Ocean, em Porches

A experimentar

O chef Hans Neuner conquistou o mar e matizou-o com o seu inesgotável talento, partilhando connosco, simples mortais, a visão ou o que lhe quisermos chamar, no menu Rota das Ilhas do muito seu Ocean. De forma simples e orgânica, atingiu a plataforma da excelência e mais além, criando a sua própria macaronésia.

Hans Neuner nasceu em Abril de 1976 em Innsbruck, no coração do tirol austríaco, e há cerca de 15 anos mudou-se de armas e bagagens para Portugal, movido pela inquietude que tinha no coração, o cozinheiro a tomar conta do profissional que aqui e ali foi estagiando e crescendo. Kurt Gillig, director geral do hotel Vila Vita Parc estendeu em boa hora o convite ao chef Neuner para tomar conta de área de fine dining, juntos fundaram uma das mais belas e eficazes cumplicidades da história da restauração. Na construção do Menu das Ilhas, Hans Neuner levou em digressão a sua brigada de cozinha, numa viagem pelas cozinhas marítimas lusófonas,

Após uma jornada inaugural em jeito de despedida do continente e que consta de cavala marinada, tomate e manjericão, aportamos nos Açores para conferir as amêijoas De S. Jorge processadas quase ao natural, abertas pelo calor apenas. Namoramos a história dos bravos pioneiros da faina do bacalhau com uma alegoria particularmente feliz da infindável e estóica empreitada harmonizada com laranja de Silves.

Chegamos à Terceira, capital de tantos sabores e saberes açorianos quando nos é oferecida a maravilhosa alcatra à açoriana, assessorada pelo pão doce de massa sovada e uma subtil proposta de tutano. Logo nos é oferecida a evocação genial do cozido das furnas, indicando que chegámos a S. Miguel, deixamo-nos embalar pelas notas fumadas que puxariam a terra, não fora o fino e brilhante equilíbrio com enguia fumada e caviar imperial.

Continue a ler o artigo em Evasões.

Últimas