Gelado de figo e vinho do Porto

A experimentar

Figos secos no armário, um restinho de vinho do Porto caseiro que me tinham oferecido e muita vontade de fazer um gelado, já que estamos no tempo deles: estavam reunidas as condições para experimentar esta receita, marcada há muito numa revista Bimby.

FIGOS E VINHO DO PORTO: UM PAR DELICIOSO

Adaptei a receita ligeiramente: diminuí ao açúcar e substituí uma parte do mesmo por mel. Também demolhei os figos no Vinho do Porto, em vez de juntar o vinho do Porto mais tarde. É um gelado rico e muito cremoso, devido não só às natas, mas também às gemas: não usei sorveteira e o gelado ficou com uma textura ótima, sem cristais de gelo.

Dá uma sobremesa bem bonita num jantar de verão de inspiração mediterrânica. Gosto de servir com amêndoa tostada ou nozes picadas, ainda que umas bolachinhas finas a acompanhar, tipo ‘telhas’, também não fiquem nada mal!

GELADO DE FIGO E VINHO DO PORTO

INGREDIENTES

250 g de figos secos

600 g de natas p/ bater (3 embalagens) – devem estar bem frias

11 gemas

Cerca de 50 ml de vinho do Porto

140 g de mel de rosmaninho

100 g de açúcar amarelo

MÉTODO

Retira os pés aos figos, coloca-os numa taça com o vinho do Porto e deixa macerar durante cerca de 30 minutos (os meus figos eram bastante húmidos, como costumamos encontrar as ameixas secas, estão a ver? Pelo que não senti necessidade de estarem todos cobertos pelo vinho do Porto, ia mexendo de vez em quando; se usares dos figos mais secos, enfarinhados, por exemplo, talvez necessites de usar mais vinho do Porto, escorrendo-os antes de juntá-los à base do gelado).

No copo de um robot de cozinha com aquecimento, coloca as gemas, o mel e o açúcar.

Programa na temperatura 70º durante 5 minutos a uma velocidade média-baixa.

Junta os figos e tritura durante um minuto na mesma velocidade. Deixa arrefecer.

Bate as natas em chantilly, sem açúcar, até ficarem bem consistentes (para ficarem bem ‘presas’, junta um fio de sumo de limão a meio do processo).

Junta a mistura de figo e gemas ao chantilly, envolvendo bem mas sem bater.

Verte para o(s) recipiente(s) e leva ao congelador.

NOTA:

– se quiseres usar o robot para bater as natas, deves começar por este passo, reservando-as de imediato no frigorífico.

O artigo foi publicado originalmente em Lume Brando.

Últimas